A província de Malanje prevê colher na presente campanha agrícola, mil toneladas de feijão, mais de 400 de ginguba, 800 de batata rena, 6 mil de batata-doce e 900 mil de mandioca, na presente campanha agrícola.
Nesta época agrícola, segundo apurou o JE prevê-se a assistência no sector familiar de 35 mil famílias camponesas, distribuídas em vários projectos, como por exemplo, o Programa de Extensão e Desenvolvimento Rural (PEDR), de fomento agrário bem como o Projecto de Desenvolvimento da Agricultura Familiar e Comercialização (MOSAP II), além de outras organizações e parceiros Não-Governamentais.
De acordo com o director provincial da Agricultura e Pescas, Carlos Chipoia, que falava à margem da abertura do “ano agrícola” 2018/2019, acto que aconteceu, recentemente, no bairro Cambo Camana, no município de Kuaba Nzoge, são esperadas 1.500 toneladas de mandioca.
A época agrícola disse, vai ser animada com o surgimento de vários empreendimentos privados que na óptica do responsável, vão dar outro “alento” à produção de grãos, com destaque para os cereais e feijão.
Os meios de produção e todas as envolventes para o êxito do presente ano agrícola, estão preparados, sendo que estão disponíveis 30 toneladas de sulfacto de amónio, 30 de sementes de feijão e igual número de sementes de milho.
“Através do MosapII temos ainda mais 60 toneladas de sementes de feijão e 340 de batata rena, além de mais 75 de fertilizantes. Temos em vista também algum apoio das administrações, através do programa de combate à fome e redução da pobreza”, aludiu.
Carlos Chipoia apontou a existência de mais de 1.300 enxadas, catanas (mil unidades), machados (mil unidades), limas (mil unidades).
O sector empresarial terá o apoio do projecto Mosap e do Instituto de Desenvolvimento Agrário, uma vez estarem previstos perto de 2 mil hectares de terra para serem mecanizados, do universo de 150 mil previstos para esse ano agrícola, onde 2.500 vão ser mecanizados e 300 através de tracção animal.
Quanto ao crédito de campanha, que alguns bancos comerciais têm estado a disponibilizar, o responsável assegurou que algumas famílias camponesas têm estado a atrasar com o reembolso, o que tem desmotivado a actividade dos bancos.

Pragas afectam mandioca
As pragas que afectam as plantações de mandioca, em vários municípios da província de Malanje preocupam os agricultores, que têm a referida cultura como a principal na região.
De acordo com o director provincial da Agricultura e Pescas existe um programa de reconversão vertical da mandioca, tendo em atenção a “virose”, que afecta o continente.
O sector prevê introduzir 2 milhões de estacas de madeira nos diferentes municípios, com realce para o Massango e Quirima (afectados com a virose), regiões consideradas críticas. Em Calandula, a situação tem estado a agravar-se em algumas aldeias.