Os administradores municipais e distritais de Luanda foram orientados pelo governador provincial, Adriano Mendes de Carvalho, a terminar com urgência as vendas ambulantes ilegais, ao longo das ruas, avenidas e pedonais.
De acordo com o governador, é inadmissível o que temos verificado nos últimos dias, relativamente as vendas ao longo das estradas e pedonais, sob o olhar impávido dos administradores municipais e comunais.
O governador fez este pronunciamento durante uma reunião que visou analisar o plano provincial de contingência de calamidades e desastres.
“Senhores administradores, é importante começarmos a corrigir estas práticas e quem não estiver a cumprir o seu papel é melhor pôr o seu cargo à disposição”, advertiu.
Durante a sua intervenção repudiou também os descaminhos dados aos medicamentos nos hospitais, desvio do combustível das ambulâncias, a falta de humanização, de sensibilidade para com os pacientes, situação que espera ver corrigida e melhorada com brevidade.
Advertiu para o fim do nepotismo e empresas de carácter particular de prestação de serviços criados nas instituições.
Apelou aos administradores distritais maior vigilância, disciplina e denúncia do roubo de cabos eléctricos, vandalização dos postos de transformação, à falta de iluminação pública, delinquência e a imigração ilegal.
Outro problema que o governador quer ver solucionado tem a ver com a ocupação anárquica de terrenos, a escassez de água e luz afirmando que mecanismos estão a ser encontrados para dentro de dias se melhorar a sua distribuição.
Referiu que a vandalização dos equipamentos eléctricos para a iluminação pública já causou um desfalque de mais de seis mil milhões de kwanzas, valor que se torna oneroso aos cofres do Estado. Ordenou os administradores distritais a encontrarem espaços para que os jovens possam praticar desporto.
Assistiram o encontro, vice-governadores, administradores municipais, comunais e directores provinciais.