O ministro da Administração do Território, Virgílio de Fontes Pereira, considerou nesta terça-feira, em Luanda, que país precisa de ter servidores públicos capazes de realizar com competência e eficácia os fins do Estado para se ultrapassar a actual crise financeira e os seus efeitos negativos na economia nacional.

Virgílio de Fontes Pereira fez esta afirmação à margem da conferência sobre " A projecção dos Interesses Nacionais dos Estados na Arquitectura do Mundo Contemporâneo e dos efeitos da Crise Económica e Financeira Mundial nas Economias Nacionais", proferida pelo ex-presidente do Brasil, Fernando Henrique Cardoso.

Segundo o ministro, mais do que a promoção de grandes debates, distribuição de receitas, Angola deve ter gestores capazes de executar e assegurar a eficácia dos projectos do Estado que tem como objectivo a persecução do interesse colectivo e a melhoria da qualidade de vida dos angolanos.

" Esta fase exige de todos a busca de soluções que visam a reorganização das economias e de novas áreas de investimento para se contornar a crise", salientou.

Por esta razão, disse haver necessidade de se tornar o cidadão mais participativo e cúmplice dos projectos do Estado porque a recessão económica é um problema global, nacional e todos.

Devido a pertinência da apresentação de Fernando Henrique Cardoso, o ministro solicitou ao Ministério da Administração Pública Emprego e Segurança Social (Mapess) a publicação do seu conteúdo de modo a torná-la acessível a todos estudiosos, gestores públicos, docentes e outros interessados.

A apresentação do ex-presidente brasileiro esteve dividida em dois momentos, o primeiro sobre a história e causas da crise financeira global, no quadro de uma análise crítica sobre o sistema capitalista e o segundo destinado à análise dos seus efeitos nas economias nacionais e o modo como cada Estado deve se defender e agir para a contornar em função das suas especificidades.