Os gestores de instituições públicas da província do Cuanza Norte beneficiaram, na cidade de Ndalatando, de uma formação para detectarem e corrigirem as principais irregularidades registadas na Administração Pública, numa acção promovida pela Inspecção Geral da Administração do Estado (IGAE).
Ao intervir no discurso de abertura do encontro, o governador provincial do Cuanza Norte, José Maria dos Santos, valorizou a iniciativa da realização da acção formativa, por contribuir na prevenção de actos que lesam os interesses do Estado.
O curso, ressaltou, vai permitir ainda, melhorar os serviços prestados pela Administração Pública.
O governante afirmou que o novo paradigma de governação do país “obriga” a todos os dirigentes e quadros dos órgãos públicos a continuarem a pautar por conduta digna e responsável, para moralizarem as instituições no sentido de melhorarem a prestação dos seus serviços.
Defendeu a necessidade da adopção de medidas que elevem a cultura jurídica dos quadros da Administração Pública de forma a evitarem desvios ao interesse público.
Por sua vez, o inspector-geral da Administração do Estado, Sebastião Gunza, frisou que o objectivo da formação é mostrar aos gestores e agentes administrativos as irregularidades em que incorrem habitualmente e quais os mecanismos de correcção, para prevenirem essas irregularidades.
Desenvolver acções de promoção da boa governação através da fiscalização e do aperfeiçoamento da eficácia e eficiência da actividade administrativa do Estado e a correcta gestão dos recursos financeiros e patrimoniais públicos são outros dos propósitos do encontro, que será extensivo a todo o país, realçou Sebastião Gunza.
Explicou que há várias formas de combater a corrupção, a principal é pela via da formação, que contribui para a educação e consciencialização dos funcionários e agentes da Administração Pública na observância da disciplina e respeito aos bens públicos.