Localizado em Luanda, o centro, em fase de conclusão permitirá o escoamento, processamento e transformação de produtos agrícolas, e de igual modo estará também vocacionado ao abastecimento de peixe e carne.
Segundo o recém-empossado administrador do Centro de Logística e Distribuição, Jacinto José, o centro é um local dotado de infra-estruturas que servirá de apoio aos produtores, distribuidores e distintos operadores que exercem a actividade do comércio.
O responsável disse ser um grande desafio gerir a unidade, a julgar pela complementariedade de serviços, operacionalizados com os equipamentos que constituem este mercado.
Por sua vez, o administrador do Mercado Abastecedor do Benfica (MAB), Ângelo Machado, disse que o objectivo do centro que vai dirigir é ajudar no escoamento dos produtos diversos, criando sinergias e formas de redistribuição.
Sublinhou ainda haver uma grande necessidade de se criar políticas multi-sectoriais, uma vez que a degradação acentuada das vias de acesso contribui em grande medida, na deterioração de quantidades consideráveis de produtos provenientes do campo.
“Tem de existir uma integração de serviços, pois não bastam os centros. É preciso também existirem estradas boas, para facilitar, disse o novo gestor empossado terça-feira pelo ministro do Comério.