O grupo empresarial Geocuba apresentou ontem, no mercado angolano, as suas potencialidades no sector produtivo para apoiar a diversificação da economia, contribuir no crescimento do PIB e na diminuição do desemprego. Constituído por 12 empresas, cinco entidades de ciências e inovação tecnológica e uma divisão de desenvolvimento de aplicações geo-informáticas com 38 especialistas em ciências técnicas e 25 Master, a firma oferece serviços geodésicos, cartográficos, cadastrais, geométricos, ajuda a navegação e estudos marinhos. O director do grupo Raúl Enrique Soler mostrou e explicou aos detalhes as potencialidades e as vantagens que Angola pode ganhar com a entrada do grupo no mercado. Segundo o gestor, a empresa pode oferecer parceria na esfera de geodesia e topografia, pelo que conta com tecnologia de posicionamento global e levantamento topográfico de última geração que permitem a criação de redes geodésicas e levantamento topográfico a diferentes escalas. Aplicação de sistemas de estudos integrados e controlo de campos cultivados mediante tecnologias de cada cultivo, monitores de rendimentos que podem servir para Angola foram outras das vantagens apresentadas pela firma. Raul Soler disse que a actuação no mercado angolano pode incidir também no sistema automatizado de estudo integral, e controlo de campos agrícolas. Dada a vantagem alcançada em Cuba, a GeoCuba pretende aplicar o sistema de “drones” no sistema de mapeamento e localização de campos, logo que os acordos entre às partes estiverem rubricados. Prevalece o programa continuado de formação de especialistas em vários ramos do saber, com destaque para as tecnologias.

O director adjunto da Imbondex Comércio Geral, Maikel Flores, explicou que Cuba vai ampliar às relações comerciais com Angola com vista ao desenvolvimento.