O grupo luso Rangel que actua nas áreas de logísticas e cargas está a estudar a possibilidade de investir em unidades logísticas de distribuição de medicamentos no país através da sua subsidiaria Rangel Pharma.

A Rangel Pharma dispõe de uma vasta experiência em soluções integradas de logística farmacêutica, hospitalar e transporte dedicado aos medicamentos.

A escolha de Angola para os negócios da empresa deve-se ao facto do ritmo de crescimento acelerado nos mais diversos sectores, apresentando um dos mais elevados crescimentos do mundo, e ter uma inflação e taxas de juro que dão sinais de estarem controladas.

Crescimento

De acordo com o Diário Económico de Portugal, o grupo Rangel, com 1153 colaboradores directos, registou, em 2012, um volume de facturação de 118 milhões de euros e para 2013 prevê um crescimento na ordem do 9 por cento.

O Grupo antevê crescer na ordem dos 23 por cento da facturação consolidada na área de logística e distribuição farmacêutica nos próximos cinco anos, revelou Eduardo Rangel, presidente do conselho de administração da empresa.

Além disso, o peso da facturação da área farmacêutica no conjunto do volume de negócios da empresa ainda não é muito significativo, tendo representado no final de 2012 cerca de 6 por cento do total.

Logística e Transporte

Neste contexto, o ano passado, o Grupo, através da sua participada Rangel Express Angola, que representa a FedEx, um dos maiores grupos internacionais de transporte de carga expresso, elegeu Angola como base para a sua internacionalização na África subsaariana.

Com efeito, a estratégia da empresa é fazer de Angola uma base de saída para o continente africano, tendo em conta o número de voos Lisboa para Luanda.

A firma dispõe também de um acordo com a Multiparques, para a constituição da Multiparques Rangel, Soluções Logísticas, com objectivos para exploração conjunta de um Centro de Operações Logísticas (COL), assim como o desenvolvimento de uma rede de distribuição nacional que cubra a distribuição capilar em todo o território angolano.

Investimentos

Contudo, dados apontam que esta sociedade promoverá investimentos superiores a 10 milhões de dólares até ao final de 2013 e deverá criar cerca de 200 postos de trabalho.
Por outro lado, espera-se que a rede de distribuição nacional, irá cobrir todo o país até finais de 2013, encurtando a distância entre províncias, começando no litoral e expandindo-se, progressivamente para o interior.

Com a complementaridade das valências dos seus sócios, a Multiparques, com a integração do Porto-Ferrovia-Armazenagem de Contentores, e a Rangel, a montante no transporte internacional e desalfandegamento, a nova empresa permitirá agora que o país tenha ao seu dispor soluções logísticas absolutamente integradas.

Desta forma, também os importadores e exportadores poderão concentrar-se mais no seu core business e deixar para o seu parceiro logístico o desafio de reduzir os seus custos operacionais, agilizar e melhorar os seus modelos de abastecimento ao mercado.