O presidente da Câmara de Comércio Americana em Angola (AmCham-Angola), Pedro Godinho, disse ontem, em Luanda, que se o país não mudar e as pessoas que representam as instituições do Estado não imprimirem mais velocidade “continuaremos a perder as oportunidades e comboio do progresso”.
O empresário, que falava à margen do lançamento do “Guia de Investimento-Angola is Now”, referiu que desde apresentou o documento nos EUA, há muitas empresas americanas interessadas em investir no país, mas tudo dependerá da dinâmica local.
Afirmou que a AmCham-Angola está engajada em desenvolver parcerias sólidas com as instituições do Estado no sentido de se identificarem mecanismos que permitam atingir a celeridade que se precisa. “É importante que melhoremos a posição do Doing Business porque no mundo globalizado os investidores estão à procura de mercados
com alguma estabilidade”.

Compromisso
Por seu turno, o secretário de Estado para Economia e Planeamento disse que o “Guia de Investimento” é um importante instrumento para a promoção de Angola no exterior e assinala uma forte parceria entre empresários angolanos e americanos.
Para o governante, as trocas comerciais entre Angola e os Estados Unidos da América (EUA) ainda estão aquém do desejável, mas o reconhecimento que o país tem recebido fruto das mudanças em curso é sinal que o nível dos negócios poderão assinalar um incremento.
“É com muita satisfação que estamos assistir um país normal que evidência cada vez mais uma sociedade civil e empresarial forte”, referiu.
O “Guia de Investimento Angola is Now” foi lançado pela primeira vez nos EUA e foi prefaciado pelo Presidente da República, João Lourenço, e dispõe de informações sobre as oportunidades de negócios em Angola com vista a facilitar o acesso à informações por parte dos potenciais investidores.