A província da Huíla prevê atingir, na campanha agrícola 2018/2019, uma produção de 508.157 toneladas de produtos diversos, contra as 293.866 toneladas registadas na campanha agrícola anterior, anunciou o governador provincial local, Luís da Fonseca Nunes.

O governador provincial da Huíla prestou a informação no acto da abertura da campanha agrícola 2018/2019, na comuna do Cusse, município de Caconda, e disse que do total de toneladas a colher, estima-se que 82 por cento da produção corresponda à cultura de cereais (milho, massango e massambala).
Para o novo período agrícola, informou, vão ser produzidos 605.300 hectares de terra contra os 346.200 hectares trabalhados na campanha passada e participam do novo período agrícola, mais de 250 mil famílias.
O governante anunciou que 500 hectares vão ser preparados com apoio da brigada de mecanização agrícola e para viabilizar o êxito desta campanha, anunciou, estão disponíveis sementes de milho, massango, massambala, feijão, soja e feixes de mandioca, bem como 50.000 mudas de cafeeiros, que foram disponibilizados pelo Instituto Nacional do Café, para que fomente na Huíla.
Referiu que relativamente a equipamentos e instrumentos agrícolas foram planificados 23.550 unidades, entre charruas, enxadas, pás, catanas, machados entre outros, tendo acrescentado que, estão ainda disponíveis 13.000 toneladas de fertilizantes, bem como calcário dolomítico que está a ser aplicado para corrigir a acidez dos solos que tem afectado negativamente a produção de diferentes cultivos, visando o aumento dos níveis de produção.
Luís da Fonseca Nunes disse que as condições favoráveis à produção de cereais, leguminosas e tubérculos e o envolvimento que se espera sempre crescente das famílias, pequenos agricultores, as associações, cooperativas e população em geral, a campanha vai ser um êxito.
O governante referiu que a quantidade de imputs agrícolas disponíveis para a província da Huíla, a implementação de projectos e o cumprimento de todos os programas gizados para esta campanha, com a participação dos camponeses organizados em associações e cooperativas, para possibilitar o acesso aos créditos bonificados, permitirá à nossa população atingir a auto-suficiência alimentar e garantir ao mercado nacional o milho, leguminosas entre outros.

Caconda tem
disponível 48 mil hectares

No município de Caconda foi planificada uma área total de mais de 48 mil hectares, para produzir 54 mil toneladas de culturas diversas.
Para o efeito, beneficiará de 77 toneladas de sementes, 1.195 toneladas de fertilizantes, 2.101 equipamentos e instrumentos agrícolas, bem como 456 toneladas de calcário dolomítico para correcção dos solos.
O acto simbólico de abertura da campanha agrícola ficou marcado com a distribuição de vários equipamentos a camponeses associados em cooperativas no município de Caconda.

Cacula em prontidão
A administradora municipal de Cacula, Carme Duarte, informou que para este ano, o seu município dispõe de mais de 300 hectares de terra corrigidos com cal dolomítico, onde vão ser colhidos mais de 150 toneladas de produtos diversos.
Disse que no cômputo geral, Cacula controla mais de 29 mil famílias a participarem na campanha agrícola 2018/2019.
“Temos ainda nove associações e nove cooperativas de camponeses que trabalham em grande escala na produção de milho”, informou.
Salientou que existem ainda várias famílias camponesas que, embora não façam parte de cooperativas, também trabalham de forma a combater a fome e a pobreza.
Referiu que, em relação à campanha passada, houve uma baixa de 30 por cento, devido a fraca chuva, que caiu sobre a região. Para a presente campanha agrícola, disse, o município recebeu mais de 65 toneladas de insumos agrícolas, que já estão a ser distribuídas.
Reconheceu que a quantidade de insumos disponibilizados ainda não é suficiente.