Arranca hoje (sexta-feira), em Luanda, um “Mega Workshop” sobre o Programa Quadro Nacional (CPF), ligado ao uso de energia atómica, para fins específicos, numa iniciativa da Agência Internacional de Energia Atómica (IAEA) e o Programa de Cooperação Técnica em Angola (2019/2023).
Pretende-se com o encontro chegar a um acordo sobre a programação futura que tenha como foco os recursos disponíveis do Programa de Cooperação Técnica da Iaea em algumas áreas de desenvolvimento, consideradas prioridade para o Governo de Angola, nas quais a tecnologia disponibilizada, através da Agência, possa criar uma contribuição significativa.
Uma nota de imprensa do Ministério de Energia e Águas (Minea), a que a Angop teve acesso nesta terça-feira, refere que o Programa Quadro Nacional (CPF) a ser apresentado no “Mega Workshop” constitui um marco de referência para o Programa de Cooperação Técnica entre Angola e a Agência Internacional de Energia Atómica (IAEA) para o período 2019-2023.

Consultas
Foram realizadas consultas aprofundadas entre as autoridades nacionais competentes envolvidas e a Agência, com base numa análise minuciosa das necessidades do país em ciência e tecnologia nuclear em relação à Estratégia de Angola para o desenvolvimento a longo prazo (Angola 2025) e Programas de Desenvolvimento Sectoriais.
Essas consultas, lê-se no documento, levaram a uma abordagem mutuamente acordada para utilização da ciência e tecnologia nuclear para apoiar o desenvolvimento sustentável, concentrando-se,  não apenas nas seguintes áreas prioritárias: formação técnica e científica de recursos humanos, serviços de saúde humana, alimentação e agricultura, produção animal e fabricação de vacinas para animais, água e ambiente, pescas e mar, energia e aplicações industriais de técnicas nucleares, protecção contra radiações e assuntos de segurança.

Esforços do Governo
De acordo com o documento, apesar de o Programa de Cooperação Técnica da Iaeanão substituir os esforços e as responsabilidades do Governo, para garantir a implementação adequada e a sustentabilidade das actividades nacionais relativas à utilização de técnicas nucleares, a assistência da Agência continuará a ser necessária no âmbito dos recursos disponíveis para a continuação de certas actividades do projecto.
A nota explica que isso incluirá o apoio a actividades de coordenação e desenvolvimento de recursos humanos, incluindo treinamento baseado em TIC, apontando como chave para os resultados almejados um forte compromisso do Governo em programar objectivos, com apoio financeiro e administrativo suficiente.
O programa está em linha com o Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN-2018-2022) e a Estratégia de Desenvolvimento de Angola 2025, o qual irá orientar todos os que estão directamente envolvidos no Programa de Cooperação Técnica, em Angola e na Iaea, na priorização de áreas de assistência.