A inauguração do Ibis Style IU Hotel, esta semana, pela ministra da Hotelaria e Turismo, Ângela Bragança e pelo governador provincial, João Marcelino Tyipinge, reforça a rede hoteleira da província da Huíla com mais 180 novos quatros na cidade do Lubango.
A infra-estrutura, composta por três torres, cada uma com 60 quartos, eleva o número de hotéis para 1.981 unidades na província, cuja capacidade de alojamento, ronda agora as duas mil e 700 camas, criando assim, mais 20 novos empregos para os jovens.
Na ocasião da inauguração, Ângela Bragança, disse que o sector do turismo é para a estratégia do Executivo angolano a alavanca da diversificação da economia, para um país que vivia uma realidade em que dependia quase exclusivamente de um único produto de exportação. “Até bem pouco tempo via-se o turismo como o sector de lazer e diversão, atracção e animação. Continua a ser, mas temos que transformar em actividade que produza rendimento e gere empregos”, considerou.
A ministra defende a criação de serviços de qualidade e atractivos nos espaços turísticos, guias turísticos e satisfazer as expectativas dos turistas.
“Quem visitar a província vem com uma expectativa e tem que encontrar motivos para alimentar esta expectativa. Os guias turísticos, os operadores, as agências de viagem e turístico de trabalhar para garantir o retorno dos turistas”, disse.
Disse que os hotéis que estão a ser abertos pelo país “só terão valor se forem incorporados no amplo esforço de diversificação e atracção e sobretudo de dignificação do país”.
Já o governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge, afirmou no acto inaugural, que o hotel vai contribuir para o crescimento da província, porque dispõe de condições adequadas para atrair mais turistas e impulsionar a economia local.
João Marcelino Tyipinge disse também que a província da Huíla tem tudo para que os empresários criem serviços para atender a demanda, salientando que a agricultura é intensiva e o mercado tem produtos de qualidade para abastecer os serviços de restauração.
“A província produz quase todos os bens necessários para preencher um menu rico. Temos batata, repolho, tomate, carne e tudo o que a indústria hoteleira precisa. É importante valorizar isso”, disse.
O governador da Huíla defendeu a realização de um diagnóstico coerente sobre bens e serviços que o pais precisa e as necessidade reais. Marcelino Tyipinge disse que diagnóstico da quantidade e qualidade da produção nacional vai permite saber o deficit e definir limites para a importação de bens.

Rede hoteleira

No que toca às três estruturas do empreendimento hoteleiro de três estrelas, implantadas numa vasta área no Monte da Serra da Chela, apresentam uma arquitectura moderna e uniforme em todas as unidades em construção pelo grupo empresarial, que enriquece o sector.
De acordo com dados avançados pelo presidente do Conselho de Administração das AAA Activos, São Vicente, o hotel do Lubango dispõe de duas salas de reunião, restaurante, quartos equipados com queen size, televisão, frigo-bar cofre, telefone, internet via satélite e ar condicionado.
São Vicente disse ainda que a unidade hoteleira é destinada à pessoas que viajam com frequência por motivos diversos e precisam de alojamento, alimentação e bebidas de qualidade, conforto e segurança a preços competitivos.
O responsável referiu que a rede de IU Hotel consta de um projecto empresarial de dimensão nacional, iniciado em 2007 e que prevê instalar 27 hotéis em todo território nacional e vai abrir nos próximo ano o Ika Hotel com 150 quartos construído também na Huíla. “Vamos, no próximo ano, abrir em Janeiro no Huambo e no Sumbe. A meta é implantar um em cada província. Toda as capitais da província terão um e nove município importantes do país também terão”, anunciou.