Um estudo de diagnóstico do sector privado angolano começa a ser feito nos próximos dias, pela Corporação Internacional (IFC) do grupo Banco Mundial, para criar mecanismos de financiamento de projectos que possam impulsionar o desenvolvimento económico do país.
O facto foi avançado nesta quinta-feira, em Luanda, à imprensa pelo vice-presidente e tesoureiro do IFC, Jingdong Hua, que se encontra em visita de trabalho de dois dias a Angola.
Segundo o responsável, que augura trabalhar com o governo angolano no sentido de poder desbloquear um apoio massivo para o desenvolvimento privado em Angola, o diagnóstico a ser feito vai incluir a aprovação de um quadro legal que possa ser mais vantajoso para o sector privado.
Este permitirá também a elaboração de relatórios de crédito e registo de imóveis, que possam gerar garantias para obtenção de crédito, análise do risco de crédito, quer a nível corporativo, quer a nível individual.
“Trabalhamos com o sector privado e vamos fazer o levantamento dos projectos que estão ligados ao sector privado e depois trabalhar com eles, visto que IFC trabalha numa base comercial”, avançou.
Com o objectivo de apoiar os esforços do governo angolano no quadro da diversificação da economia, a Corporação Financeira Internacional tem como foco investir nas áreas do agro-negócio, geração de energia, com destaque para energias renováveis.
O apoio ao sector financeiro, para dar suporte às pequenas e médias empresas (PME), o aumento da inclusão financeira, são outras áreas em atenção.