Cento e vinte mediações de conflitos de relações jurídico-laborais, entre funcionários e empregadores, tiveram uma solução positiva no presente ano, sob orientação da Inspecção Geral do Trabalho (IGT), na província do Bié.
A informação foi avançada segunda-feira última, no Cuito, pelo chefe de departamento de Inspecção Geral do Trabalho interino, do Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social no Bié (MAPTSS), António Caquarta de Oliveira, em relação igual etapa anterior, verificou-se menos 150 casos, fruto da sensibilização daquela instituição junto das empresas.
Dos casos destacam-se os despedimentos ilícitos, falta de pagamento de salários, subsídios de férias e de natal, abuso de autoridade por parte dos empregadores e outros.
Tendo em conta os incumprimentos das empresas, frisou, resultou ainda na aplicação de multas, no valor de três milhões 845 mil kwanzas, que serviu para indemnização dos trabalhadores.
Com vista a combater conflitos nos locais de trabalho, apelou aos trabalhadores e empregadores a terem sempre em primeira estância o diálogo, descartando a justiça menos digna (psicológica ou física) entre as partes, respeitando essencialmente as normas laborais das instituições e a lei geral do trabalho.
A IGT tem a missão de velar o cumprimento das relações jurídico-laborais, implementação prática das normas da lei geral do trabalho e outros documentos de regulamento dos trabalhadores.
O responsável, exortou no entanto, aos funcionários a continuarem com as denúncias dos incumprimentos nas empresas, para salvaguardar os direitos e deveres dos trabalhadores.