Dezoito estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços mercantis foram multados por terem cometido um total de 45 infracções, durante o I semestre deste ano, informou a responsável do Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (Inadec) na província da Huíla, Bárbara Coutinho.
As infracções às regras comerciais foram identificadas no decurso de 81 visitas efectuadas às superfícies comerciais e de prestação de serviços mercantis. Tinham a ver com a venda de produtos impróprios para o consumo, datas vencidas, falta de higiene, má arrumação dos bens
e falta de livro de reclamação.
Comparativamente ao I semestre do ano 2017, o número de estabelecimentos comerciais multados subiu para sete. Entretanto, a responsável não revelou quanto o Inadec arrecadou com as multas aplicadas.
Bárbara Coutinho disse que alguns persistem em acondicionar alimentos com produtos químicos de limpeza. “Isto não é aconselhável, porque pode contaminar os bens alimentares e prejudicar a saúde humana”.
Por outro lado, disse que continuam a apelar a todos os fornecedores de bens e serviços que o livro de reclamações é indispensável e obrigatório.