Em declarações à imprensa, no final de uma acção formativa promovida pelo Inapem e destinada a 75 jovens empreendedores, António Barros disse que, em cinco dias de formação, transmitiram aos formandos ferramentas para os ajudar a iniciar a sua própria empresa.
Afirmou que as matérias abordadas poderão ajudar os jovens na busca de serviços para imperar no mercado que se afigura cada vez mais competitivo.
“O tema principal foi como iniciar uma empresa (…), apresentamos um leque de características de quem pretende abrir um negócio. Falamos também do plano de negócio, o estudo e pesquisa de mercado, de viabilidade técnica, económica e financeira de um determinado negócio”, explicou.
Por outro lado, esclareceu que nem todo empreendedor pode ter acesso ao crédito, excepto aquele que estiver cadastrado pelo Inapem, ou que tenha uma empresa constituída.
Informou que o valor monetário a receber depende do plano de negócio que o empreendedor apresentar à instituição bancária, acrescentando que se o interessado apresentar um plano de negócio que corresponde a um milhão de kwanzas poderá receber um valor correspondente, tendo esclarecido, no entanto, que o valor estabelecido pelo Inapem varia de cem mil a 40 milhões de kwanzas.