Segundo a titular da pasta da Indústria, que discursava quarta-feira na abertura do Conselho de Direcção do Ministério, que está a abordar os principais desafios da actividade industrial, como tarefas imediatas, neste novo ciclo governativo, o sector vai melhorar o observatório da indústria, com vista a recolha regular de dados estatísticos.
Destacou também a necessidade da contínua divulgação, através da síntese da análise da conjuntura da indústria nacional, mensal, contendo informações sobre produção, importação, exportação e outras informações relevantes sobre o sector.
Relativamente à baixa produção de duas fábricas de cimento, das cinco existentes no país, avançou que o problema está na base de constrangimentos no domínio energético, que teve início desde a primeira metade do II semestre deste ano.
Neste contexto, garantiu que o Executivo, de acordo com o seu papel, está a ajudar estas empresas, no sentido de ultrapassar os referidos constrangimentos para não prejudicar a oferta de cimento no mercado.
“Logicamente quando há diminuição da oferta, o mercado reage mal, pois os comerciantes sobem os preços devido à procura, mas dentro em breve a situação das duas indústrias penalizadas voltará  ao normal“, garantiu.