O Instituto Nacional de Estatísticas (INE), já inquiriu durante os primeiros três meses de recolha de dados (Abril a Junho) 10,301 agregados familiares, dos 10.944 previstos, no âmbito do Inquérito ao Emprego em Angola (IDE), iniciado a 15 de Abril último.
Segundo uma nota do INE a que o JE teve acesso, o IEA, é o Inquérito ao Emprego em Angola, tem a finalidade de recolher dados para produzir indicadores sobre emprego e desemprego no país e tem uma periodicidade trimestral, com o processo de recolha contínuo durante os 12 meses de cada ano civil.
Os Inquéritos ao Emprego em Angola, segundo o INE, são realizados de acordo às recomendações mais recentes da Organização Internacional do Trabalho (OIT).
O trabalho de campo teve início no dia 15 de Abril do ano em curso, e está previsto recolher informações trimestralmente em cerca de 10.944 agregados familiares seleccionados, dos quais 6.036 na área urbana e 4.908 na área rural.
Na operação que visa recolher dados sobre as características sociodemográficas, pessoas com 15 anos ou mais, foram feitas perguntas sobre educação, formação profissional, características da força de trabalho, corrupção e segurança pública.