Pelo menos 150 empresas e startups estão a expor as suas ideias de negócios na 1ª edição da “Feira da Cidade do Empreendedor 2019”, que decorre em Luanda, de 25 a 28 do corrente mês, numa iniciativa do Governo Provincial de Luanda e da Eventos Arena, com o fito de informar, apoiar e potenciar os empreendedores que apostam em sectores chaves da economia. A Auto Afinadinho trouxe como novidade, nesta edição, o projecto “auto gás”, uma tecnologia que permite que o automóvel funcione automaticamente a gasolina e a gás através da instalação de um depósito para o sistema de gás butano. Abreu Cosme, responsável do projecto disse ao JE que com este processo, o automóvel mantém a mesma potência e fazendo os mesmos quilómetros de distância. Conta que o sistema só funciona para os carros com motores a gasolina porque a sua combustão combina com o gás. “O preço de um kit de instalação varia de acordo com o modelo do automóvel, número de cilindros e injectores e rondam entre kz 450 e 700 mil. É oneroso mas garante boa poupança e provoca menos poluição”, avançou. Revelou que apesar de o projecto ser novo, a empresa tem 10 clientes que já solicitaram o kit de instalação, tanto mais que já há em circulação um automóvel que faz serviço de táxi a utilizar o sistema a gás. “O automóvel gastava kz 10 mil de combustível/dia, com o sistema a gás dispende apenas kz 3 mil”.

Pressão nos combustíveis
Abreu Cosme lembrou o episódio que aconteceu alguns meses atrás em que o país registou escassez de combustíveis, “mas havia gás que poderia servir como alternativa para abastecer os carros”. Sublinha que quando o Governo deixar de subvencionar o combustível ficará mais caro e o gás que temos em abundância através da empresa de recuperação e processamento de gás natural Angola LNG pode colmatar essa lacuna. Avançou ainda que a empresa está a fechar um acordo com a Sonangol e Pumangol para a instalação de bombas de gás numa primeira fase, em Luanda e posteriormente em todo o país. A ideia de negócio resultou de um investimento de 250 mil dólares. O sistema é oriundo da Polónia que é dos maiores fabricantes. A Europa já utiliza a tecnologia há mais de 30 anos.

Produção de cosméticos
Outra empresa que também se destaca na feira pela ousadia e inovação é a Probella que investiu 900 mil dólares numa fábrica de produção de produtos de beleza feitos à base de moringa, múcua, chá de caxinde e casca de laranja. Instalada em Luanda, no Benfica, a fábrica tem uma capacidade para produzir dois mil litros de produtos/dia numa primeira fase. Fátima Silva, CEO da empresa referiu que entre os produtos produzidos estão o shampó, condicionador, mascaras anti-queda do cabelo e combate à caspa, cremes para a pele e manteiga capilar que ajudam a melhorar a saúde corporal e a combater algumas patologias como a queda de cabelo, seborreia, caspa e calvície. O preço dos produtos rondam de kz 1.800 a 2.500. “No início tivemos alguma retracção por parte dos clientes porque não acreditavam no produto nacional, mas hoje a adesão é maior”. A empreendedora afirmou que os custos de produção localmente ainda são elevados por falta de infra-estruturas funcionais como energia, água, estradas e saneamento, acrescentando que o país já despertou, mas o foco deve ser a resolução destes problemas de base que fazem mover a economia”, finalizou a empresária. Para o governador da província de Luanda, Sérgio Luther Rescova, a feira cidade do empreendedor é uma prova evidente do interesse de cooperação entre empresários e empreendedores que exercem a sua actividade na capital que juntos podem resolver o problema do desemprego e do investimento.