A integração de Angola nos blocos regionais coloca sérios desafios à economia nacional e à sociedade, com a permanente preocupação da especialização dos sectores, para que possam ser competitivos a nível regional e global.
Esta afirmação é do secretário de Estado do Comércio, Amadeu Leitão Nunes, quando discursava no I fórum sobre acordos comerciais regionais realizado em Luanda, numa iniciativa do Ministério do Comércio em parceria com a União Europeia. De acordo com o responsável, esses desafios podem ser transformados em oportunidades, com a eliminação de barreiras comerciais tarifárias e não tarifárias.
Alertou que estudos indicam que um elevado nível de protecção reduz a produtividade e impede a difusão de tecnologias e conhecimentos. Amadeu Nunes frisou que Angola tem feito reformas significativas que deverão melhorar consideravelmente a capacidade de atracção de investimentos para sectores produtivos fora do “Cluster petróleo”.
Considerou que a abertura do mercado angolano é iminente e neste contexto deve-se pensar em políticas de fomento das indústrias nos mais variados sectores.
Disse que o foco não passa apenas pelas reformas que visam a melhoria de Angola no “Doing Business”, mas pela implementação de um plano de reforço.