ISAQUE LOURENÇO

Diante da crescente demanda por uma informação bancária eficiente, fruto do aumento da população bancarizada, o que tem originado enormes filas de espera nos balcões das diversas agências espalhadas pelo país, o acesso aos serviços da banca por via da Internet se afigura como alternativa.

O director Central de Sistemas de Informação do Banco Internacional de Crédito (BIC), Luís Nikolai, disse em entrevista ao JE, que estes canais de serviços oferecem, além de rapidez e eficiência aos utilizadores, informação em tempo real do estado da sua conta e possibilidades de transferências interbancária sem presença física do requerente.

Conforme disse, o BIC partiu para este projecto com o intuito de ofere¬cer ao cliente um serviço eficiente, permitindo-lhe uma inte¬racção com o banco a partir do exterior, fazendo com que o banco esteja onde está o cliente. “Com o serviço de Internet banking (eBanka), o banco está sempre disponível e acessível, 24 horas por dia, o que torna este num projecto bem sucedido”, afirma.

Vantagens

De acordo com Luís Nikolai, a introdução destes serviços no pacote de oferta de produtos disponibilizados pela banca aos clientes oferece vantagens duplas, pois além dos clientes, os bancos também ganham com a utilização frequente desta ferramenta.

“O Internet banking tem a vantagem de permitir um certo alívio aos balcões das agências, o que de certo modo diminui as despesas com materiais gastáveis como papéis, tintas, e ao pessoal de atendimento maior disponibilidade para atender aquelas pessoas que ao invés de consultar saldo de conta ou extracto bancário, queiram exclusivamente efectuar levantamentos”, afirma.

O BIC é dos pioneiros na introdução destes serviços, daí que o especialista em serviços informáticos garante que duas componentes muito importantes foram salvaguardadas na implementação do produto: a segurança e a comodidade. Ele assegura não existirem razões para medos na utilização deste canal, uma vez que o banco subscreveu com uma das maiores empresas certificadoras de segurança digital do mundo.

A referida instituição levou em conta na aplicação da subscrição a adopção de regras de segurança bastante rígida, como a do teclado virtual, que é uma ferramenta de posição aleatória no ecrã, o que permite a uma apresentação dos números que mudam cada vez que é digitado um código. Consta também do pacote a existência do Killhacker, um aplicativo que não permite o registo do código de acesso no computador utilizado pelo cliente para acessar a este canal.

Fomentar Internet

O fraco acesso aos serviços de Internet no país é uma das dificuldades apontada pelo especialista em informática do banco BIC. Ele disse que, à medida que vão crescer os provedores de Internet e as facilidades de acesso público, ocorrerá também o aumento de pessoas que preferencialmente vão usar os serviços on-line dos bancos.

“Já assistimos a um crescimento acelerado de provedores, embora Luanda pareça concentrar ainda mais de metade do país, mas os indicadores são bons, e certamente vão facilitar a expansão dos serviços de Internet banking”, disse.

A fonte explica que a banca angolana ganha com a disponibilização destes canais. Aliás, a sua presença em já alguns bancos, mesmo que poucos, demonstram a aposta das instituições nestes serviços.

A par deste, outro produto semelhante disponibilizado é o do SMS Banking, onde o cliente após subscrever a sua adesão através de um número de acesso, atribuído pelo banco, consulta saldo através do seu telemóvel.

Custos com serviços

Luís Nikolai explicou que a adesão pelo menos no BIC é gratuita. Os clientes devem apenas se dirigir a uma agência qualquer e efectuarem a sua subscrição.

“A medida visa permitir uma maior adesão do público, até porque acredita-se que a formação constante do pessoal e a expansão de agências podem ser suprimidas por este meio, que também absorve menos investimentos que os anteriores”, assegura.

Benefícios visíveis

Segundo dados disponibilizados pela instituição, o BIC regista actualmente um acesso diário superior a 25 solicitações por via da Internet, das quais 10 são feitas fora de Luanda.

O Internet banking, ou na versão dos criadores – eBanka, está disponível em várias versões: o eBanka Light, que disponibiliza um conjunto de transacções de con¬sulta de operações bancárias, o eBanka Standard adiciona ao anterior a capacidade de efectuar transacções financeiras, transferências, checar cartões emitidos, autorizações de débito, financia¬mento, e o eBanka Empresas, especialmente adaptado às necessidades dos clientes empresariais das instituições financeiras.

Com a nova aplicação, os clientes passaram a fazer todo o tipo de acesso e de transacções monetárias via on-line. De acordo com o responsável, os clientes do Banco BIC demonstram diariamente o seu grande contentamento face às tecnologias disponibilizadas, nomeadamente ao eBanka.

Entre as principais características do eBanka destacam-se:

• Facilidade de expansão – Quer por adição de novas funcionalidades, quer pelo suporte futuro de outro tipo de canais, tais como a Televisão Interactiva.

• Baixo TCO (Total Cost Ownership)

• Poucos recursos de hardware e de mão-de-obra – Permite que instituições de pequena dimensão possam ter acesso a esta solução, principalmente na modificação dos conteúdos por pessoal não especializado.

• Rapidez de implementação – A solução standard é instalada em menos de um mês após a decisão.

• Costumização – A solução possui um certo grau de costumização, nome¬adamente na selecção da página de acolhimento.

• Bons tempos de resposta – Não requer largura de banda elevada.

• Flexibilidade – Disponibilizada de forma modular, permite a sua adaptação às necessidades dos vários tipos de clientes.

Leia mais sobre o assunto na edição impressa doJornal de Economia & Finançasdesta semana, já em circulação