A Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações (AIPEX) e os Serviços de Migração e Estrangeiros (SME), realizam no dia 13 do corrente (quarta-feira próxima), em Luanda, um Workshop sobre o “Investimento Privado e o Regime de Facilitação e Isenção de Vistos em Angola”.
Segundo uma nota que o JE teve acesso, com o evento pretende-se divulgar o novo Regime Jurídico de Estrangeiros e questões referentes à Política Migratória e sua relação com o Investimento Privado em Angola e terá lugar nas instalações da Aipex.
O ministro do Interior, Ângelo da Veiga Tavares, disse que o seu pelouro tem vindo a introduzir reformas no sector para tornar o ambiente de negócios em Angola mais seguro e atractivo.
Apesar do ambiente macroeconómico ainda desfavorável, Angola continua a ser o destino preferencial dos investidores.
De acordo com o último relatório da Aipex, de Agosto a Dezembro de 2018, a instituição recebeu um total de 79 pedidos para registo de novas propostas de investimento, avaliadas em 571 milhões de dólares, enquadradas em vários sectores da actividade, com destaque para a indústria (36) e o comércio (25) propostas.
Em termos de volume de investimento, o sector da indústria tem merecido a preferência dos investidores, cujas propostas representaram 276,2 milhões de dólares, seguindo-se a agricultura com 109,6 e 57,2 milhões, respectivamente.
Agosto foi o mês que registou maior número de pedidos para registo de propostas de investimento, com 31, seguindo-se o mês de Novembro com 17 pedidos.
O documento sublinha ainda que, no primeiro trimestre do ano em referência, assistiu-se a um declínio do número de pedidos de registo de novas propostas de investimento, mas a tendência foi invertida em Novembro.
Relativamente ao destino dos investimentos, a província de Luanda continua a liderar a preferência dos investidores, concentrando 71 por cento do número de pedidos de registo, seguida das províncias do Bengo (10%), Malanje (7%) e Benguela (4%).

Propostas Registadas
Foram registados e emitidos os respectivos Certificados de Registo de Investimento Privado (CRIP), num total de 65 novas propostas de investimento no valor de 547,6 milhões de dólares, enquadradas maioritariamente nos sectores da indústria e comércio.