O leilão de gado realizado no sábado, em Ondjiva, no quadro da 14ª edição da feira Industrial, Comercial e Agro-pecuária do Cunene (FEICAP), contou com 177 espécies animais, entre raça mexi braman e zebú, bem como caprinos, suínos, equinos e aves domésticas, distribuídos em 41 lotes.
Segundo a coordenadora da comissão organizadora, Maria João, cerca de 65 milhões de kwanzas, foram arrecadados durante o evento.
Momentos de ânimo e alegria caracterizavam os rostos dos criadores de gado durante o desfile que dava a entrada de cada lote de animais, no palco, onde as regras determinantes foram quem paga mais, fica com o lote em disputa.
O lote 33, composto por cinco bovinos da fazenda Calueque, foi o mais caro no valor de 2,5 milhões de kwanzas.
O empresário Gabriel Hilifali foi o melhor comprador da presente edição.
De acordo com a coordenadora da comissão organizadora, a 14ª edição está abaixo das expectativas, uma vez que não houve participação estrangeira e de outros pontos do país, como tem sido em épocas anteriores, “o que daria mais um forte potencial a verdadeira diversificação
da economia”.

Expectativas goradas
Maria João disse que apesar da participação de todos os municípios da província, não foram alcançadas as expectativas e ressaltou o envolvimento de todos nas próximas edições para a concretização dos objectivos do certame.
No meio de todas dificuldades, revelou, foi possível contribuir o valor significativo para os cofres do estado.
“Os valores que contribuímos para a conta do tesouro constituem um motivo de orgulho”, disse.
A Expo-Cunene 2018 decorreu sob o lema “48 anos firme na diversificação da economia, promovendo a agricultura,a indústria e a pecuária”.
Dados indicam que a feira é realizada anualmente para celebrar a desanexação da província do Cunene, do então distrito da Huíla, a 10 de Julho de 1970.

Potencialidades
A província do Cunene é considerada como uma das detentoras do maior efectivo de gado bovino, estimado em mais de um milhão de cabeças, o sector agro-pecuário tradicional familiar continua a ser ainda o detentor da criação animal, facto que obriga as autoridades a efectuarem o censo, para terem números reais.
Para a campanha de vacinação animal 2018, a província tem disponível 192 mil doses de vacinas.
A nível dos seis municípios da província, a previsão é vacinar 710 mil cabeças de gado bovino.
O sector da Agricultura da região tem desenvolvido campanha de sensibilização junto dos criadores no sentido de se codificar os animais com um carimbo, com nomes dos proprietários, para que estejam devidamente identificados, medida que visa evitar o furto e roubo do gado, que tem ganhado contornos elevados.