A cidade de Luanda vai acolher, de 26 a 27 de Abril do corrente ano, o primeiro Congresso Internacional sobre a propriedade industrial. A confirmação é do coordenador do evento, Moisés Caiaia, que fez estas declarações ao JE, que segundo disse, o objectivo é promover uma discussão académica e técnica à volta da propropriedade industrial de modo a conferir valor à criatividade do génio angolano.
De acordo com o promotor do evento, durante dois dias, oradores do mercado nacional e internacional vão descutir temas ligados à propriedade intelectual e produzir subsídios para enriquecer o sector.
Por outro, dar início à discussão sobre a propriedade industrial de modo a produzir subsídios destinados ao engrandecimento a nova Lei de Imprensa, tornando-a moderna e inclusiva.
De acordo com o entrevistado, desde a produção da Lei vigente até a presente data, o mundo conheceu um conjunto de tecnologias, que precisa ser regulado para se adequar ao contexto.
A título de exemplo, Moisés Caiaia sublinhou, que a Lei sobre o segredo comercial, não consta da Lei aprovada em 1992, pois na altura, o contexto não permitia discutir esta questão.
O congressista lembrou, que o domínio das matérias relacionadas à propriedade intelectual são de extrema importância, pois, permitem ao génio criador saber como explorar as suas invenções e de que forma proceder em caso de violação de direitos.

Oradores
No total, foram convidados 15 oradores, entre nacionais e estrangeiros.
O destaque recai para Dário Mora Vicente, especializado em matéria de propriedade intelectual, para dissertar sobre o relacionamento de tutela jurídica internacional na propriedade intelectual, que tem merecido muita atenção no país.