A direcção da empresa de transportes rodoviários interprovinciais e urbanos, Macon, inaugurou nesta segunda-feira, 11, dia da Independência Nacional, a sua nova rota que parte de Luanda até à capital da vizinha República da Namíbia.
A cerimónia de inauguração começou em Windhoek (capital da Namíbia), onde a empresa possui uma filial, e terminou na cidade fronteiriça de Santa Clara, sita na província do Cunene precisamente na fronteira entre Angola e Namíbia.

Em entrevista ao JE, o director-geral adjunto da Macon, Egildo Ferraz Béu, afirmou que a abertura desta nova rota é uma iniciativa inédita que marca o processo de internacionalização da Macon e vai dinamizar as trocas comerciais, além de aumentar o fluxo de pessoas e bens entre Angola e Namíbia.

Questionado sobre as razões por trás desta iniciativa empresarial de prolongar as rotas além fronteira, Egildo Béu referiu que existe um bom ambiente económico na fronteira entre ambos os países e há perspectiva deste quadro vir a melhorar nos próximos anos.
“Somos pioneiros neste processo. O que nos motivou foi o bom ambiente comercial e o facto de não existir alternativas à via aérea para quem quer se deslocar à Namíbia, seja por motivos comerciais ou turismo” afirmou.

Durante o acto inaugural, a directora provincial dos transportes no Cunene, Fátima Ilungamena, congratulou-se pela iniciativa da Macon e, em nome do governo local, garantiu todo apoio institucional necessário. “A Macon traz um serviço novo para as nossas populações que vai revolucionar os transportes rodoviários e levar a marca angolana além fronteira” disse.

Por sua vez, Gildo Béu garantiu que a sua empresa não vai ficar por aí, pelo que já perspectiva num horizonte de médio ou longo prazo estender as suas rotas para outros países além da Namíbia. “Windhoek é apenas o primeiro destino, mas não será o único. Pretendemos conquistar outros mercados como a da África do Sul e o da Zâmbia.

Preço e trajecto
De acordo com Gildo Béu, as pessoas interessadas em viajar de autocarro para a capital da Namíbia pela empresa Macon podem comprar o bilhete de passagem nos postos de venda da Macon em Luanda a um valor total de 12.000 kwanzas (passagem de partida), ao contrário dos 53.000 kwanzas (ida e volta) que é o custo da passagem aérea Luanda-Windhoek.

O trajecto começa em Luanda e faz paragem em Santa Clara (Cunene). Postos aqui, os passageiros serão transferidos para Ochikango,no lado fronteiriço da Namíbia e transbordados para outro autocarro que os levará a Windhoek depois de cumprirem todas as formalidades relacionadas aos serviços de migração dos dois países, situados na fronteira comum. Ao todo serão percorridos cerca de 1.400 quilómetros de distância entre as duas capitais (Luanda e Windhoek).

Importa referir que a fronteira fecha às 18 horas, pelo que a direcção da Macon fará coincidir o horário de partida em Luanda com o horário de chegada dos autocarros que farão o troço de Windhoek a fronteira de Santa Clara.

Egildo Béu recordou que o preço de 12.000 Kz é apenas para quem fará o troço directo (Luanda-Windhoek), mas os passageiros que apanharem o autocarro a meio do trajecto ou em determinado troço pagarão menos. Por exemplo, quem partir de Santa Clara a Windhoek pagará apenas 2.500 Kz.

Vantagens
A cidadã Marisa, 32 anos, é uma comerciante que compra mercadorias na fronteira de Santa Clara e em Windhoek para revendê-las em Luanda. Instada a pronunciar-se sobre as vantagens da recém inaugurada linha da Macon, ela afirmou que a primeira vantagem pretende-se com o preço de passagem. “A passagem aérea é muito cara” disse, carregando a pronúncia do “r” (carra) numa linguagem e tom caracteristicos das pessoas de origem bakongo.

Mais adiante acrescentou que o bilhete de passagem do autocarro é mais barato e dá para fazer turismo ao longo das várias localidades onde o autocarro faz paragem. Segundo informações prestadas à nossa reportagem, a vista panorâmica da natureza compensa em larga escala o cansaço da viajem.

Como referiu Egildo Béu, o óptimo estado das estradas nacionais e das estradas de Windhoek propiciam uma viajem turística muito agradável e inesquecível. Ao longo do troço, é possível apreciar vários animais como girafas, macacos e outros, que enriquecem e tornam bela a distinta fauna e flora do continente africano.