Depois de Luanda -Windhoek, a operadora de transportes rodoviários Macon abre, neste semestre, a sua segunda rota internacional Luanda-Kinshasa (via Luvo), Kinshasa-Matadi e Kinshasa-Yema, na fronteira com a província de Cabinda, anunciou esta semana o Presidente do Conselho de Administração da empresa, Luís José Ndapuka Máquina.
Estes novos objectivos resultam dos investimentos da companhia em 55 novos autocarros com capacidade de 48 lugares para o transporte rodoviário interprovincial. Uma frota que entrou, esta semana, em actividade em 64 rotas interpovinciais.
Para a aquisição da nova frota, a empresa investiu 6,5 milhões de dólares norte-amercianos. Como resultado da aplicação serão criados, só na rota com a RDCongo, pelo menos 20 novos postos de trabalhos, entre motoristas, cobradores e
auxiliares administrativos.
Com a nova aquisição, a empresa constitui uma frota de 648 autocarros. Quando iniciou a sua actividade a 25 de Maio de 2000, tinha um total de 25 autocarros urbanos e um quadro de pessoal de 140 trabalhadores.
Actualmente, a Macon emprega dois mil e 910 trabalhadores directos e 650 indirectos. Em 2018, transportou 36 milhões de passageiros urbanos e dois milhões, 400 mil passageiros nas rotas inter-provinciais.