A maior bolsa de negócios do sul de Angola (Expo/Huíla) inicia quarta-feira à tarde, com 130 empresas nacionais e estrangeiras.

Enquadrado nas festividades da Senhora do Monte, o certame termina domingo e até lá a Associação Agro-Pecuária, Comercial e Industrial da Huíla (AAPCIL), que promove o evento, buscará parcerias entre os intervenientes, onde o volume de negócios está avaliado em 300 milhões de kwanzas.

Oitenta e cinco por cento dos stands estão montados e, além de empresas da Huíla, o destaque vai ainda para representações de Benguela, Luanda, Namibe, Nigéria, Ghana, África do Sul, Namíbia e Portugal.

Segundo o secretário-geral da AAPCIL, Elísio da Costa Lobo, cada ano que passa a organização procura caprichar e a adesão tem sido grande, mas as dificuldades de espaço no pavilhão (130 stands) limita muitas vezes o acesso de todos os interessados.

Afirmou que o grande objectivo é a divulgação da produção regional e o estabelecimento de parcerias, porque é um evento de demonstração das potencialidades dos intervenientes.

 Elísio Lobo esclareceu que pelo menos mil e 500 empregos temporários vão ser criados neste certame por parte das empresas expositoras.

A AAPCIL congrega mais de 500 empresários e foi criada em 1991.