Cinco biliões de dólares é quanto o Governo Angolano poderá investir para melhorar o sector energético do país, aponta um projecto apresentado nesta terça-feira, em Luanda, pela Odebrecht Intertechne Angola.

Em declarações à Angop, o gerente de produtos internacionais da Odebrecht, Sérgio Kraenzer, afirmou que o projecto congrega a criação de cinco mil quilómetros de linhas de transmissão de energia e oito subestações de 620 kilowatts a serem distribuídos nas regiões Norte, Sul e Centro.

Com a execução deste projecto, acrescenta a fonte, cinco mil e 100 megawatts de energia eléctrica serão distribuídos pelo país,

ultrapassando, deste modo, os 967 megawatts produzidos actualmente.

De acordo com Sérgio Kraenzer, o projecto terá início em 2011 com conclusão prevista para 2016, tempo que considerou suficiente para a elaboração do projecto.

Sérgio Kraenzer adiantou que o projecto não prevê um atendimento total dos consumidores, acrescentando que, para isso, será necessário maior investimento financeiro e temporal.

As questões relacionadas com algum possível impacto ambiental que o projecto poderá causar será analisado conjuntamente pelos técnicos da Odebrecht e do Ministério do Ambiente, segundo o responsável que garantiu prestar todo apoio para uma execução saudável do projecto, sem no entanto causar qualquer prejuízo ao meio.

A elaboração do Projecto de Planeamento do Sistema Eléctrico de Angola teve a duração de um ano e seis mês e foi feita pela Odebrecht sob orientação do Ministério da Energia e Águas.