O mercado angolano já começa a registar excedente de alguns alimentos produzidos no solo nacional, numa indicação ao cumprimento do programa de diversificação da economia traçado pelo Executivo.

A informação foi avançada ao JE, pelo engenheiro agrónomo Pascoal Castro do Ministério da Agricultura e Floresta, refere que aos poucos há um registo notável no crescimento da produção interna.
O agrónomo reagia à exportação da banana para Portugal pela empresa Novagrolíder, que apelou na necessidade de se incrementar o apoio à produção agrária.
Depois de se ter registado em várias ocasiões a exportação do sal para vários países africanos, por parte de muitos agentes ligados à exploração deste produto, refere que nota-se também a saída do mel angolano para
muitos países, além do café.
“ O apoio dado pelo Executivo na Campanha Agrícola foi um sinal de que está interessado, que Angola atinja a posição conseguida nos anos 70 em relação à produção alimentar”, frisou
O agrónomo Pascoal Castro, disse que a produção da banana regista-se em grande escala na zona Norte de Angola, onde a curto prazo é notável o incremento dos níveis produtivos.
Nesta base na passada terça-feira, a empresa Novagrolíder voltada à produção de banana notificou, que está a exportar semanalmente cinco contendores de 40 pés de banana para o Continente Europeu
concretamente em Portugal.
O administrador da Novagrolíder José Macedo, realça que além da banana, inclui no leque de exportação o mamão, papaia e mangas em escalas aceitáveis.
A produção dos alimentos da Novagrolíder, está a ser executada no perímetro irrigado de Caxito na província do Bengo , numa extensão de aproximadamente 600 hectares, onde além da banana dedica-se também à plantação do abacaxi, manga, uva, quiabo, beringela, mamão, assim como plantas enxertadas.
Contudo, a fonte solicita mais celeridade no processamento da documentação inerente à exportação, associados ao alto custo das tarifas portuárias de exportação, e propõe às autoridades criar um guichet dos exportadores para facilitar o processo.
Relativamente à disponibilização de divisas por parte das instituições bancárias houve uma melhoria considerável este ano, se comparado com a morosidade registada no ano passado.
A agrolíder tem uma produção anual de 60 mil toneladas, gerou emprego para mais de 900 jovens nacionais e cerca de 30 expatriados.
O economista Juvelino Domingos, em declarações ao JE aponta que, apesar de ser em quantidades reduzidas, aos exportadores permite arrecadarem mais receitas, o que facilitará na compra de mais imputes para a produção.
Por outro lado, este movimento indica que o mercado é auto-suficiente nos produtos em causa, aumenta a competitividade e a produção nacional começa a ganhar mais espaço.