A República de Angola e o Reino dos Países Baixos têm “muitas oportunidades de cooperação na área económica e de energias,” afirmou neste domingo, em Luanda, a ministra holandesa dos Assuntos Económicos, Maria Van Der Hoeven.

A governante fez estas declarações à Angop, no aeroporto de Luanda, momentos após a sua chegada a Angola, onde se deslocou para uma visita oficial de três dias, no âmbito do reforço da cooperação bilateral entre os dois países.

Segundo a entrevistada, que se desloca pela primeira vez a Angola, “há muitas oportunidades de cooperação na área económica e de energias”, sobretudo nesta fase em que a economia de Angola se encontra em grande crescimento, acrescentou.

No entender da ministra holandesa, um elemento principal na cooperação entre os dois países centra-se nos assuntos de energia, principalmente no quadro do projecto LNG .(gás liquido natural), que será uma grande área de cooperação entre os Países Baixos e Angola.

“Se esta ambição for realizada, disse, navios-cisternas carregando LNG terão de atracar num porto holandês muito brevemente, sublinhou, tendo realçado que “Angola muito rapidamente será um grande produtor de gás natural e poderá desempenhar um papel importante no fornecimento do gás líquido natural ao noroeste da Europa”.

De acordo com a ministra, “Angola assim como a Holanda podem tirar muitos benefícios do reforço das suas relações económicas nos domínios da energia, infra-estruturas, portos, comércio e investimentos. Tenho altas expectativas da visita das empresas holandesas a Angola e do seminário a decorrer em Luanda”, reafirmou.

A governante holandesa deu ainda a conhecer que os sectores da construção de infra-estruturas portuárias e da transferência de tecnologias poderá beneficiar de um incremento na cooperação bilateral, visto que o país saiu recentemente de um longo período de guerra e precisa de ajuda nesse campo para reconstruir o seu território.

Para tal, disse, os primeiros passos para o efeito poderão ser já dados pela delegação das trinta companhias holandesas que se encontram em Angola neste momento.

Na ocasião, anunciou que muitas empresas holandesas continuam a manifestar o interesse de virem a Angola fazer investimento, bem como exportar as suas tecnologias, sobretudo agora que o país se encontra numa fase de paz.

Actualmente encontra-se a operar no mercado angolano cerca de 60 empresas holandesas, sendo a que está envolvida num dos maiores programas de investimentos a que trabalha no projecto LNG, no município do Soyo, província do Zaire.