GASPAR MICOLO

A MS Telecom e o Grupo LR apresentaram, na semana passada, em Luanda, a sua nova parceira que vai oferecer serviços de internet através de planos acessíveis e que tenciona em breve operar também no segmento de telefonia fixa. Denominada Net One, a empresa criada representa na sua totalidade um investimento de USD 25 milhões e foi concebida em Março do ano passado.

Em declarações ao JE, o director executivo da empresa, Robson Moura, disse ser intenção primária da sua firma colocar no mercado um serviço de Internet a baixo custo, proporcionando acesso fácil à Internet para todos os angolanos, sendo este o principal propósito desta parceria empresarial.

Outra novidade apresentada no certame é a da utilização da tecnologia Wimax, um produto de fácil adaptação, através do qual pretendem massificar a adesão à Internet de qualidade no país.

“Depois de termos feito um estudo de mercado, chegamos à conclusão que a tecnologia Wimax seria a ideal para os nossos clientes, a julgar pela facilidade de sua utilização”, disse.

Robson Moura lembrou, na ocasião, que os modems estarão à disposição do público a preços que vão desde os Kz 10 mil, 16 mil a 24.400. Disse também que a Net One vai disponibilizar, para os dois planos existentes (Net kuya de dados e de velocidade), cartões de recargas mensais no valor de Kz 1.800, 3.600, 5.400 e 7.200 para o plano de dados, enquanto que para o plano de velocidade serão comercializados cartões no valor de Kz oito mil e 16 mil.

“A empresa se destaca pela flexibilidade na adesão e oferece diversos planos, sejam eles de dados ou de velocidade, de forma à atender tanto a necessidade do usuário individual como o corporativo”, disse.

Cobertura actual

Actualmente, a empresa actua nas províncias de Luanda, Lobito e Malanje, com mais de 20 pontos de venda, mas pretende atingir outras províncias ainda este ano, tendo em conta a sua carteira de negócios e a expansão para todo o país como uma das prioridades.

Nesta primeira fase, a empresa propõe cobrir cerca de 80% da província de Luanda, e, de igual modo, estender as suas actividades às províncias de Benguela e Malanje. Cabinda, Soyo e Lubango constam das suas prioridades para os próximos meses.

“Estamos a actuar no mercado há pouco tempo e temos um plano de expansão muito ambicioso, pois em cada mês atingimos uma determinada área. Com isto, poderemos chegar a mais províncias até ao final do ano”, afirma.

A cobertura e todos os serviços da Net One serão suportados pela tecnologia de última geração “Wimax”, considerada como uma das mais avançadas e modernas no mercado mundial das tecnologias de “banda larga”.

O Wimax apresenta a grande vantagem de ser transmitida através de ondas de rádio, ou seja, sem a necessidade de utilização de cabos.

“Esta tecnologia é muito vantajosa por ser transmitida através do ar e assegurada por antenas instaladas em pontos estratégicos, ou seja, sem necessidade e utilização de cabos, por isso, serão reduzidos os problemas com a transmissão do sinal”, assegura.

Com sede localizada em Talatona, município da Samba, a empresa conta com 40 profissionais directos, sendo 85% trabalhadores nacionais e 15% expatriados, além de outros 50 colaboradores indirectos, o que totaliza cerca de 90 postos de trabalho. A Net One comercializará os seus produtos e serviços (modems e cartões de recargas) em duas lojas próprias em Luanda, sendo uma localizada no Miramar, município do Sambizanga, e outra nos Serviços Integrados de Apoio ao Cidadão (SIAC), em Talatona. Também vai montar um quiosque de vendas no Belas Shopping. Contará também com uma rede de agentes autorizados formada por mais de 20 lojas.

Rede fixa

Ainda em fase de teste, a telefonia fixa da Net One será lançada dentro de três meses, numa extensão da MS Telecom. Com os mesmos equipamentos da Internet, os usuários poderão ligar-se a telefonia fixa.

“Utilizamos a tecnologia Wimax, porém, com os mesmos aparelhos analógicos de telefonia fixa, os nossos usuários poderão ter acesso ao nosso segundo serviço que será lançado dentro de três meses”, frisou, acrescentando que a empresa de telecomunicações poderá vir a oferecer outros serviços, tais como VPN (Virtual Private Network - Rede Privada Virtual), hosting, monitoramento por câmaras, entre outros.

Segurança

Em caso de roubo ou extravio, o cliente da Net One, segundo disse Robson Moura, pode pedir ao serviço de apoio para bloquear e inutilizar o aparelho. “Cada aparelho tem uma número único, pois quando roubado facilmente se pode inutilizar para se evitar o seu uso por parte de terceiros”, disse.

Leia mais sobre outros assuntos na edição imprensa do Jornal de Economia & Finanças desta semana, já em circulação