O vice-governador do Namibe para a Área Técnica e Infra- estruturas, José Chindongo, apelou os profissionais da Comunicação Social para a necessidade do envolvimento na divulgação dos conteúdos relacionados com a institucionalização do Balcão Único de Atendimento Público (BUAP), por se tratar de um instrumento de capital importância para qualquer cidadão. José Chindongo que procedia, quarta-feira, à abertura do seminário provincial sobre “a institucionalização do Buap” que decorreu em Moçâmedes, província do Namibe, disse que a interpretação “errada” que se pretende com esta inovação, “pode gerar embaraços ao cidadão”, daí a sua ampla clarificação e profunda explicação nas comunidades. Para o também governador provincial em exercício, a transformação que se pretende para o país exige a adopção de modelos de governação de proximidade, onde o cidadão tenha participação directa ou indirecta nas questões ligadas aos seus anseios. José Chindongo António encorajou os participantes a aproveitarem a “soberana oportunidade” para, em conjunto, reflectirem e trocar pontos de vista sobre o tema agendado de forma activa e comparticipada e, no final, cada um dos presentes ser o emissário das populações e estas conheçam os serviços a serem oferecidos por esse novo órgão da Administração Pública. Acrescentou igualmente, que as medidas que estão a ser tomadas visam cumprir o programa do Governo 2018-2022, sendo uma das suas principais metas, “a inclusão social de todos os angolanos” fundada na elevação do futuro desenvolvimento humano. O director do Gabinete Provincial dos Registos e Organização Administrativa, Abelardo Messias Lemba, o prelector ao seminário, destacou as questões mais prementes da institucionalização dos Balcões Únicos de Atendimento Públicos, mormente a nível dos municípios e comunas do Namibe. Durante a sua dissertação frisou que o Executivo entende que é o município, comuna e bairro, onde estão os problemas que merecem a máxima atenção. O Buap tem como objectivo, melhorar a qualidade dos serviços prestados aos cidadãos e empresas, através da simplificação dos procedimentos administrativos, bem como promover a rápida implementação dos novos processos e procedimentos pela aplicação de novas tecnologias de informação e comunicação.