A emissora brasileira, Globo e a maior operadora angolana de TV por satélite, Zap, rubricaram recentemente um acordo segundo o qual a partir de 1 de Julho os conteúdos da emissora passarão a ser transmitidos exclusivamente pela operadora, em Angola e Moçambique. O negócio será esclarecido hoje numa conferência de imprensa, em Luanda, e a celebração desta parceria terá lugar igualmente nesta sexta-feira numa gala.


Com a tão anunciada parceria, além de toda a programação presente no quotidiano dos angolanos e moçambicanos, a Globo chega assim à nova casa com duas novidades, nomeadamente, sinal em alta definição (HD) e um novo canal, o Globo ON, que vai reunir as novelas, séries e comédias que conquistaram milhões de pessoas em todo o mundo.

Com efeito, na referida conferência, reservada a jornalistas, estarão presentes o director de negócios internacionais da Globo, Ricardo Scalamandré, e o director-geral da ZAP, Nuno Aguiar, este último que, em comunicado, referiu que numa altura em que a operadora completa cinco anos a parceria com a Globo “é o melhor presente que podíamos oferecer aos nossos clientes”. A Zap iniciou a sua actividade no mercado angolano em Abril de 2010 e no primeiro semestre de 2011, entrou em Moçambique, tornando-se rapidamente líder na disponibilização de conteúdos e canais em português e em alta definição.

Entretanto, para o representante da Globo, Ricardo Scalamandré, a mudança é “um reconhecimento do carinho que o público angolano e moçambicano sempre teve com a Globo”.

“Estamos em Angola desde a década de 80, quando começámos a licenciar as primeiras novelas para o país, o nosso conteúdo sempre foi bem recebido, tanto aqui quanto em Moçambique. A mudança para a Zap, empresa que conhece e investe no crescimento destes países, é uma forma de prestigiar o telespectador. Queremos estar mais próximos do nosso público”, explicou o executivo, citado no comunicado.

A passagem da emissora brasileira para a Zap, ocorre numa altura em que a Globo deve substitutir a novela “O rei do gado” no vale a pena ver de novo, em Julho, por “Caminho das índias“, de Glória Perez, originalmente exibida em 2009, sendo a primeira novela brasileira vencedora do Emmy Internacional, daquele ano.

A Globo está entre as maiores empresas dos media no mundo e produz cerca de 2.500 horas de entretenimento e 3.000 horas de jornalismo por ano no Brasil.

Concorrência
A Dstv, principal concorrente da Zap, que deixa por sua vez de exibir a emissora brasileira, tem vindo a apostar em conteúdos em língua portuguesa mas a perda de um dos principais canais da sua grelha poderá significar grandes prejuízos.

O JE procurou saber da empresa que comunica a operadora no país alguma reacção em relação à mudança mas não obteve sucesso. Nem as nossas tentativas de ouvir o director de relações públicas da Multichoice, Adilson Garcia, tiveram sucesso.

Contudo, o JE apurou que a operadora se prepara para apresentar a sua visão de mercado em conferência de imprensa depois da mudança do canal brasileiro. Sabe-se ainda que a empresa já está a promover igualmente o canal brasileiro Record na mesma tónica que a sua concorrente Zap, alegando que o mesmo também está em exclusividade.

Diversificação do pacote
A Zap procede ainda neste semestre ao lançamento oficial do novo serviço de interacção de TV e internet num único pacote,
denominado Zap Fibra.

O JE sabe que o novo serviço vai servir de plataforma de acesso a outros serviços como restart Tv, onde poderão ser vistas imagens gravadas até sete dias.

O novo serviço permitirá também ao usuário saber o tempo e como estará o trânsito nos locais que desejar, que neste momento se encontra em fase experimental em Talatona e posteriormente estender-se-á a toda extensão da cidade de Luanda.