A persistência e a resiliência têm sido o lema da empresa Smartelight Engenharia e Tecnologia, que enfrenta o actual momento do país com muito  trabalho e dedicação.
As informações foram prestadas pelo responsavel do departamento comercial,  Mauro Mendes,  abordado pelo JE na Feira Internacional de Luanda (Filda).
Criada há cinco anos, a Smartelight Engenharia e Tecnologia viveu, nos últimos três anos, um período difícil porque, como disse Mauro Mendes, “acabava de dar a cara ao mercado” nacional de construção civil e obras públicas.
“Não nos deixamos  abalar pelo momento de crise que o país atravessa, mas acreditamos que está a chegar à sua etapa final”, acentuou Mauro Mendes.
O gestor disse ainda que as empresas de construção civil que actuam no mercado têm vivido, nos últimos três anos, um período muito difícil, sobretudo, as que têm pouca experiência no mercado angolano.
O preço elevado dos materiais de construção e o défice de mão-de-obra qualificada influenciam na actividade das empresas de construção civil e obras públicas, segundo  Mauro Mendes.
“A situação está a melhorar”, reafirmou o funcionário da Smartelight Engenharia e Tecnologia, que tem em carteira sete projectos de construção  de estradas e moradias e de fiscalização de obra.
A Smartelight Engenharia e Tecnologia aplica, para “qualquer bolso”, vários preços, analisados pelo cliente por altura da apresentação do projecto e das condições de negociação.
As modalidades de pagamento estão em sintonia com o período de duração da obra, estão a ser avaliadas num projecto de construção de um condomínio.