A empresa espanhola Nova Pescanova, que opera em Angola desde 2005 e onde tem 100 trabalhadores e três navios congeladores dedicados a frutos do mar profundo, está a avaliar com o Governo angolano as potenciais capacidades produtivas e tecnológicas que podem trazer para o desenvolvimento da indústria da pesca no país.
Para o efeito, a ministra das Pescas, Victória de Barros Neto, acompanhada pela directora do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística (GEPE), Isabel Francisco Cristóvão, efectuou uma visita oficial a vários centros de produção do grupo Pescanova, localizada na província de Pontevedra,
na Galícia, Noroeste de Espanha.
O objectivo da visita é fortalecer os laços entre as duas entidades, aprofundar as relações comerciais fortes e explorar as potenciais capacidades produtivas e tecnológicas da empresa galega, a fim de contribuir para o desenvolvimento da indústria da pesca.
As autoridades angolanas foram recebidas pelo CEO do grupo Nova Pescanova, Ignacio Gonzalez, e o director corporativo da empresa de pesca, David Troncoso, que apresentaram em primeira mão os procedimentos e as capacidades do grupo empresarial, enquanto partilhavam pontos de vista sobre o futuro da pesca em Angola.
A Nova Pescanova opera desde 2005 em Angola com base no Porto de Lobito. A empresa e o Governo angolano têm estreitas relações comerciais através da empresa estatal Edipesca. A operação da empresa em Angola representa uma captura anual total de cerca de 600 toneladas, entre crustáceos ou moluscos capturados em grandes profundidades.

INE capacita
jornalistas sobre contas

O Instituto Nacional de Estatística (INE) promoveu ontem, em Luanda, um seminário sobre “As contas nacionais trimestrais” dirigido aos jornalistas com o objectivo de melhor interpretação e análise dos indicadores.
O encontro perspectivou de forma específica como são produzidas as estatísticas, a sua importância,  assim como a utilização de tais indicadores. Foram abordados os “principais conceitos”, resumo metodológico e interpretação dos principais indicadores”.
Segundo o director geral adjunto do INE, Lukoki Artur, é costume antes do lançamento de um novo produto o INE realizar um seminário metodológico e muní-los com conteúdos adicionais. “Os jornalistas são parceiros privilegiados”.
Xavier António

Namibe
terá empresa de Águas

A província do Namibe vai contar com uma Empresa Provincial de Águas, que terá como missão, gerir e supervisionar do ponto de vista técnico, a distribuição de água, no quadro do projecto de extensão da rede de distribuição em curso no município sede e noutras sedes municipais. De acordo com o director provincial de Energia e Águas, Arlindo Tavares, a empresa será criada no quadro do Decreto Presidencial, e vai reger-se de um estatuto próprio, cujo processo de recrutamento de pessoal está em curso.