O Ministério das Pescas vai investir, de 2010 a 2012, pelo menos USD 40 milhões de dólares para a construção da Escola Nacional de Aquicultura (cultivo de organismos aquáticos, incluindo peixes), no município de Kalandula, na província de Malanje.

A informação foi prestada no domingo, em Kalandula, pelo ministro das Pescas, Salomão Xirimbimbi, quando procedia ao lançamento das obras de construção da instituição vocacionada a formação de técnicos básicos e médios no ramo de aquicultura.

Segundo o governante, a criação da escola no município de Kalandula deve-se aos resultados dos estudos realizados por técnicos angolanos e estrangeiros que identificaram a localidade que melhores condições naturais oferecia para o projecto.

O estudo, que incluiu várias localidades do país com potencial em pesca artesanal, estendeu-se, entre outras províncias, ao Huambo, Bié, Uíge, Cabinda, Zaire, Namibe, Kwanza Sul, Kwanza Norte.

A ser construída numa área de 300 metros quadrados, o edifício vai comportar dois andares, estando neles incluídos nove salas de aulas, oficinas, anfiteatros, campos desportivos e dois laboratórios.

Relativamente aos laboratórios poderão ser um seco e outro húmido. O primeiro vai comportar organismos embalsamados, enquanto o segundo consistirá num sistema artificial alimentado por oxigenação tendo como base o cultivo de diferentes espécies de água doce.

Dentro do projecto, prevê-se que o cultivo dos primeiros peixes aconteça no final do ano de 2010, numa região em que as espécies mais abundante desse vertebrado são "o bagre, a chopa, lenda e sunza".

A escola, que vai fornecer os futuros alunos para a Academia de Pescas a ser edificada na província do Namibe, tem capacidade para albergar 900 alunos, sendo 600 em regime de internato e 300 externos.