A empresa de fabricação de estruturas de aço para empresas petrolíferas “Heerema Angola”, no Porto-Amboim, Cuanza Sul, vai despedir nos próximos dias 254 trabalhadores nacionais e estrangeiros.
Uma nota de imprensa da empresa, chegada à Angop, indica que, como resultado das actuais condições do mercado petrolífero, a redução contínua do volume de trabalho e as perspectivas sombrias para o futuro, a empresa decidiu implementar uma reestruturação.
O documento refere que a reorganização pretendida incidirá na adaptação da empresa a “forte redução do volume de trabalho”, com o despedimento de 200 trabalhadores nacionais e 54 expatriados, que não terão os seus contractos renovados.
A nota salienta que a direcção da empresa já informou ao colectivo de trabalhadores sobre os planos de reorganização.
Nos últimos tempos, a Heerema em Angola testemunhou um período sem precedentes de preços do petróleo baixos e consequentes níveis históricos reduzidos de investimento no sector petrolífero, factores que tiveram um “tremendo” efeito sobre a economia angolana, altamente dependente das receitas do petróleo.
A empresa adianta na nota que novos projectos foram adiados, reduzindo significativamente a necessidade de fabricar estruturas de aço para instalação offshore.
Refere que a visão sombria ditou que a unidade revisse as suas operações em Angola e adaptasse a sua organização ao actual e futuro volume
de trabalho mais reduzido.
Salienta ainda que as condições de mercado extremamente difíceis também tiveram um impacto profundo na actividade da empresa.