Os empresários portugueses vão investir nas áreas de construção civil, agricultura, agro-pecuária e no sector mineiro, anunciou na quarta-feira, na cidade do Lubango, província da Huíla, o embaixador de Portugal em Angola, João Caetano da Silva.
O diplomata, que falava à margem do encontro entre empresários do seu país e da Huíla, disse que vão participar neste processo de investimento, empresários que já participaram e outros
que já trabalharam na Huíla.
“Existe interesse da parte dos empresários portugueses em investir e constituir parceria na Huíla, nos três sectores fundamentais, que são: a construção civil, a agricultura e agro-pecuária, e no sector mineiro”, indicou.
Informou que há ainda interesse de investir nas áreas de hotelaria e turismo, ramo alimentar e aluguer de automóveis.
Explicou que entre Angola e Portugal existe um pacote financeiro, que é uma convenção do financiamento entre os dois países, num montante de mil milhões de euros, valor este que já está esgotado, porque o Governo angolano apresentou projectos já em execução, no valor de mil milhões de euros, alguns deles já concluídos.

Linhas de crédito
Afirmou que a linha de crédito bilateral que existe está dedicada mais ao sector da construção civil, da energia e das águas. Pequenos projectos não estão contemplados nesta linha de crédito.
O diplomata referiu ainda que há uma possibilidade de reforço dessa linha de crédito, mas existem igualmente os financiamentos bancários que têm a ver com as empresas.
“As empresas que vieram comigo, a maioria, dedica-se sobretudo à área da construção civil, mas também se dedicam à área de energia e águas, e algumas delas já fizeram investimento na área da agricultura e pecuária. São empresas vocacionadas ao desenvolvimento de diferentes tipos de projectos, apesar de serem mais conhecidas nos sectores da construção civil e infra-estruturas”, indicou. Referiu que o governo provincial da Huíla apresentou o programa que visa elencar uma série de projectos prioritários para o Plano quinquenal 2018/2022, que despertou muito a atenção dos empresários portugueses, e a embaixada, através do departamento comercial vai continuar a fazer o trabalho de intermediação entre os empresários
huilanos e de Portugal.
O embaixador de Portugal em Angola disse que as relações entre Portugal e Angola são excelentes.
Acrescentou que são relações entre dois povos irmãos de grande densidade e de alguma forma emocionalidade e como é normal nessas relações que são muito próximas, pode haver situações que obriguem as partes a trabalhar para superar sempre eventuais dificuldades que possam aparecer.
“As relações são tão intensas e tão fortes,que temos que trabalhar em conjunto para resolver qualquer problema que surge pelo caminho exporadicamente porque acontecem coisas, mas isso nunca vai alterar o nosso rumo, que é de fortalecer a relação e tornar os laços cada vez mais fortes”, disse.
Disse que o executivo angolano e o governo da Huíla em particular, está a providenciar, inclusive, informação muito importante para as empresas do exterior conhecerem o potencial existente.
“A missão que estou a desenvolver com as empresas foi decidida em Janeiro, e culminou com o conhecimento do potencial existente, que interessa aos dois países, em função dos acordos bilaterais existentes.

Criadores de gado
O presidente da Associação Agro-pecuária, Comercial e Industrial da Huíla (AAPCIL) referiu que a região tem excelentes condições para desenvolver as actividades industriais, comerciais e agrícola, pecuária e agro-industrial.
Afirmou que existem grandes variedades de minérios, rochas ornamentais, e o turismo, este último com mercado florescente e, os empresários locais precisam de know how e apoio financeiro, que podem contribuir fortemente no alavancar das actividades e consequentemente, contribuir para o programa de combate à fome e à pobreza, bem como, diversificar a economia. Os portugueses conhecem a realidade local e por isso, são parceiros de longos anos.
Visitaram os projectos empresariais de sucessos, tais como “Novo Prisma”, Construção Civil, Carpintaria e Metalomecânica, do grupo Andaime Carvalho.