A embaixadora dos Estados Unidos de América em Angola (EUA), Nina Maria Fite, anunciou, terça-feira, no Lubango, que o seu país vai estender as áreas de investimentos em algumas províncias do país.

Nina Maria Fite, que discursava no encontro de cortesia com o governador provincial da Huíla, garantiu que existe uma cooperação entre o Governo angolano e americano nos vários domínios, que deve ser estendido nas províncias, depois de Luanda.
“O meu objectivo aqui é fortalecer intercâmbios entre os EUA e Angola. Já tivemos vários sucessos nas ligações entre companhias americanas com Luanda, para a nova época, estamos a estender outras estratégias de investimentos nas províncias de Angola”, disse.
“Olho para a visita Huíla de descoberta de oportunidades, possibilidades e potencialidades que existem na província, para possíveis investimentos pelos empresários americanos e fico satisfeita com os resultados, que vão ser disseminados às companhias
americanas”, disse.
A diplomata mostrou-se satisfeita com o convite formulado pelo governo da Huíla de convidar os empresários do seu país, para participarem no Fórum de Negocio da província, a decorrer em Outubro próximo, na cidade do Lubango.
“Recebi com muito prazer o convite para Outubro estar presença, com empresários e companhias americanas no Invest-Huíla”, disse.


Ouro e ferro


O governador da Huíla, Luís Nunes, destacou a importância dos empresários americanos investirem nas áreas de exploração do ouro, ferro e rochas ornamentais.
“A Huíla é rica em ouro e ferro, que continuam moribundos, daí, queremos contar com os investimentos dos EUA nestes domínios e criar emprego”, disse.
Luís Nunes, disse também que, o emprego cria-se com o investimento privado.
“Queremos pedir ajuda à embaixadora que façam maiores investimentos privados nas áreas da agro-pecuária, exploração dos recursos minerais em abudante, como o ouro e o ferro, que estão completamente moribundas”, indicou.
O responsavel disse que existem programa prioritário para o investimento a curto prazo, como a formação do capital humano, quer técnica, profissional, de nível médio e superior, a electrificação rural, a implementação de parques eólicos e solares, investimento com parcerias público privadas, fomento da agro-indústria, investimento de pequenas industriais de transformação e processamentos de produtos agro-pecuários, como cereais, frutas e carnes.
A reabilitação e funcionamento dos perímetros irrigados, fomento do crescimento da agro-indústria na cadeia do valor do milho, fruta e carne, investigação científica aplicada a agro-pecuária e o desenvolvimento dos pólos industriais dos municipios do Lubango, Matala e Jamba, são investimento a médio prazo.