Manuel BarrosUma delegação do Ministério do Comércio encabeçada pelo seu titular, Joffre Van-Dúnem Júnior, está a efectuar desde o dia 15, visitas de constatação que terminam amanhã, 19, às infra-estruturas comerciais do sector, para avaliar e consolidar a situação real, no âmbito dos projectos integrados do Programa de Reestruturação do Sistema de Logística e de Distribuição de Produtos Essenciais à População (PRESILD) e do Programa de Expansão da Rede Comercial (PERCOM). Segundo a nota a que o JE teve acesso, a delegação diagnostica o entreposto logístico e a Loja Poupa-Lá do município do Chinguar, no Bié, entreposto logístico da Caála, loja Poupa-Lá (escola pedagógica), e às obras do Centro Logístico de Distribuição (CLOD) no Huambo, bem como o Clod da Catumbela, loja Poupa-Lá da Ganda (Benguela), mercado abastecedor da Quibala, Loja Poupa-Lá de Porto Amboim, Loja Poupa-Lá de Waku-Kungo (Cuanza Sul). No primeiro dia (15) de visitas, a comitiva escalou o município do Chinguar, onde na companhia do governador da província do Bié, Pereira Alfredo, constataram as infra-estruturas pertencentes ao Ministério do Comércio, que por diversas razões encontram-se encerradas. No Chinguar, a comitiva governamental visitou o Centro de Logística e Distribuição (CLOD), loja Poupa-Lá e um dos campos agrícolas de batata rena. No final da visita, o ministro do Comércio, Joffre Van-dúnem Júnior, reveleu à imprensa que o país deixará de importar, no curto e médio prazo, produtos agrícolas, tendo em conta os investimentos que estão a ser realizados pelo sector privado.

Projectos estruturantes
O Programa de Reestruturação do Sistema de Logística e de Distribuição de Produtos Essenciais à População (PRESILD) criado em 2006, atingiu na sua primeira fase, metas significativas, sendo que até Dezembro de 2007, cerca de 2,5 milhões de clientes foram atendidos, numa média diária de 2.500 pessoas, com a rede de supermercados “ Nosso Super”.
Fonte do Ministério do Comércio indica que o Presild trouxe o compromisso de criar novas oportunidades de negócio e de emprego, tendo em vista a necessidade de oferecer produtos essenciais à população, numa base de preços relativamente acessíveis e com qualidade.
A intenção é manter os níveis alcançados até 2017, mas, agora, com um outro dinamismo e compromisso para se atingir as metas preconizadas pelo Executivo angolano plasmadas no Plano de Desenvolvimento Nacional 2018/2022.
A reestruturação do sistema de logística vai permitir maior diversificação na oferta de produtos nacionais e impor uma nova filosofia de atendimento ao consumidor.
Para este efeito, a articulação do Programa de Expansão da Rede Comercial (PERCOM) também faz parte da agenda.
O Percom, que terá uma extensão nacional e outros estabelecimentos comerciais, estão a ser inaugurados e criados.
A fonte assegura que com estas visitas de constatação a intenção é de se traçar estratégias que visam melhorar o aproveitamento dos estabelecimentos comerciais já construídos, de maneira que possam cumprir com “afinco” os objectivos traçados, durante a sua criação que é primar pela qualidade e escoamento
da produção nacional.