O Mais de 50 projectos de investimentos foram aprovados, nos últimos seis meses, pela Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportação (Aipex) com o objectivo de estimular a produção interna e reduzir as importações. A informação foi avançada, terça-feira última, pelo director Nacional para a economia, Marcelino Pinto, durante um encontro com os jornalistas, denominado “Café conferência”.Marcelino Pinto disse que os projectos ora aprovados estão avaliados em mais de 367 milhões de dólares, dos quais, sete avaliados em 17 milhões de dólares foram aprovados no âmbito do Programa de Apoio ao Crédito (PAC).Os restantes 43 projectos vão ser implementados nas províncias da Huíla, Cuanza Sul, Luanda, Benguela, Uíge, Cunene Cuanza Norte e Namibe.Segundo ele, o objectivo é impulsionar, sobretudo a produção agrícola com destaque para os cereais, avicultura e indústria transformadora.Depois da agricultura que vai receber a maior cifra dos investimentos, o sector das pescas, não será esquecido, assim como o da indústria.

Crédito
Para assegurar a gestão deste pacote de investimento, segundo Marcelino Pinto, o Executivo vai contar com um total de oito bancos comerciais, nomeadamente o Banco Angolano de Investimentos (BAI), Banco Fomento Angola (BFA) Banco Internacional de Crédito (BIC) que vai gerir kz 30 mil milhões, o Standard Bank 20 mil milhões, Millennium Atlântico (BMA) 15 mil milhões, o Banco de Negócios Internacional (BNI) e o Banco Comercial do Huambo (BCH) seis mil milhões de kwanzas cada, enquanto o Banco de Comércio e Indústria (BCI), quatro mil milhões.

Investimento
Por sua vez, o administrador da Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações (AIPEX), Lelo Francisco, aproveitou a ocasião para dizer, que de Agosto a Junho do ano em curso, a instituição registou um total de 155 manifestações de investimento, por meio de implementação de projectos, avaliados em 1.4 mil milhões de dólares.
Disse mais que, os projectos, na sua maioria de origem chinesa, estão mais virados para o sector da indústria com um total de 74 por cento de intenções de investimento, comércio e o sector dos serviços com os restantes 26 por cento. Os referidos projectos, segundo disse vão ser canalizados nas províncias de Luanda, Bengo, Benguela e Malanje.
Lelo Francisco disse por outro lado que, caso se concretizem essas intenções, elas poderão gerar cerca de 11 mil postos de trabalho directos, dos quais cerca de 94 por cento para cidadãos nacionais e 6,0 para expatriados.
Apesar desta probabilidade, que ainda se espera, o responsável aproveitou também a oportunidade para anunciar que cerca de 38 projectos, avaliados em 778 milhões de dólares, já estão em efectiva implementação em diversas províncias do país, principalmente nas regiões do litoral, incluindo Luanda, com o maior número de projectos.
O dirigente disse que, os investimento provêm, sobretudo da Europa, com destaque para o Reino Unido, Espanha, Alemanha e de alguns países africanos como o Ghana, Quénia, e Eritreia.
Dos projectos do empresariado nacional, a Aipex registou um total de 71 por cento de intenções de investimento, 18 de origem externa e 12 mistos, interno vs externo.