O Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN 2018-2022) preconiza o fortalecimento do tecido empresarial privado nacional, informou segunda-feira, em Luanda, o ministro da Economia e Planeamento, Pedro Luís da Fonseca. O facto foi assumido pelo governante quando falava na cerimónia de abertura do seminário sobre articulação institucional entre a Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações (AIPEX), o Instituto Nacional de Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas (INAPEM) e os Gabinetes Provinciais de Desenvolvimento Económico Integrado (GPDEI).
De acordo com o ministro, o seminário visa potenciar o empresariado nacional e estrangeiro, contribuindo na melhoria do negócio, competitividade e concorrência, substituição das importações e diversificação das exportações, sustentabilidade ambiental, entre outros.
Na sua óptica, a estrutura económica pouco diversificada no país, levou o Executivo a implementar um conjunto de políticas que garantam a melhoria do bem-estar e da qualidade de vida das famílias angolanas.
O PDN orienta ainda o Governo na desconcentração e descentralização territorial, assim como na criação de condições que dinamizem a competitividade territorial.
Ele tem a incumbência de orientar o Executivo no estímulo da cidadania e da participação das populações na vida democrática do país, a valorização da capacidade empreendedora e da inovação, bem como a criação de emprego.
Durante o seminário, os participantes falaram igualmente sobre o papel dos GPDEL na implementação do PRODESI, a articulação entre INAPEM e os GPDEI, entre outros.