O Instituto Angolano da Juventude(IAJ) lançou na última terça-feira,14, em Luanda, o Projecto Food Yeto que visa promover o micro-negócio e o aumento do auto-emprego juvenil. Trata-se de uma ideia inovadora de um jovem empreendedor, Dikuelua da Silva, que criou um carrinho composto por três cubas e um grelhador onde se podem confeccionar todos os (quitutes) que se vendem na rua de forma informal.
Denominado Carrinho Food Yeto, os jovens podem vender produtos vindos directamente do campo como bombó assado com jinguba, banana assada e frita com jinguba acompanhado de quissângua ou outro refresco e com a higiene exigida.
O empreeendedor salientou durante a apresentação do projecto que a ideia surgiu ao apreciar as mamãs zungueiras a venderem nas várias artérias da cidade esses produtos, muitos deles sem a devida higiene, constituindo um atentado à saúde pública. O projecto além de dar o primeiro emprego a muitos jovens vai também ajudar o Estado na arrecadação de impostos, fomentar a renda de jovens e das famílias e diminuir o desemprego.
Por sua vez, o director geral do IA J, Jofre dos Santos, disse que o principal objectivo é desenvolver o empresariado juvenil e permitir que os jovens participem no processo de desenvolvimento económico do país. O responsável afirma que numa primeira fase os carrinhos foram adquiridos pelo Ministério da Juventude e Desporto através do IA J para apoiar as primeiras cooperativas de jovens
que serão constituídas.
“Muitos jovens estão num processo de formação orientação económica e gestão de negócios nos centros de formação profissional e posteriormente lhes serão entregues os meios que também serão distribuídos às demais províncias do país”, disse
O objectivo, segundo Jofre dos Santos, é fazer desses jovens futuros grandes empresários do país e a instituição bancária que trabalha com o instituto vai facilitar a abertura de contas para que as cooperativas devidamente registadas tenham uma conta onde possam fazer depósitos em função dos recursos que vão arrecadando relacionado com a sua actividade comercial.
Pretende-se, ainda, estabelecer parcerias a nível dos governos provinciais para que cada província numa primeira fase tenha pelo menos 10 máquinas a funcionar que serão distribuídas aos jovens sendo prioridade dos 18 aos 35 anos. Outra prioridade do IAJ é fazer com que os custos de produção das maquinas sejam reduzidos para podermos abranger mais jovens.