O projecto de apoio ao empreendedorismo denominado “Orange Corners Angola” prevê colocar no mercado cerca de 130 startups estabelecidas com capacidade de crescer. A informação foi avançada, recentemente, pela coordenadora do projecto Margareth Costa. Margareth Costa, que falava à imprensa na cerimónia que marcou o encerramento do primeiro ciclo de formação de empreendedores no âmbito do projecto, disse que em 2018 foram seleccionadas 15 iniciativas de negócio, das quais, quatro irão beneficiar de financiamento, assessoria jurídica, comunicacional e carteira de clientes para impulsionar a actividade. De acordo com a coordenadora do projecto, venceram a primeira fase, as iniciativas de empreendedorismo voltadas a consultoria em comunicação, rastreio de agricultura e mineração, uniformes, plataforma de curso online e beleza. Em representação da Embaixada da Holanda, Joana Halsema, assegurou que o empreendedorismo tem um papel determinante na resolução dos desafios socio-económicos de um país. Segundo a responsável, a iniciativa enquadra-se na estratégia da Embaixada dos Países Baixos e seus parceiros que estão empenhados em dar um contributo positivo a Angola, através da criação de um ambiente favorável para os empreendedores, e do apoio ao crescimento económico do país. Ao estabelecer uma parceria com o Orange Corners, os empreendedores vão beneficiar de apoio para dinamizar a iniciativa.

Metas
A partir de Janeiro de 2020 ,a meta é chegar a província do Huambo. Entre as metas da empresa consta igualmente, a intenção de criar mais de 400 postos de trabalho. Para impulsionar a iniciativa empreendedora, o projecto conta com as parcerias do Standard Bank Angola e do Kixi Crédito. Além do mercado angolano, a iniciativa está presente em países como Moçambique, África do Sul, Uganda, Sudão e Nigéria. O “Orange Corners” é uma plataforma para empreendedores estimularem a sua criatividade, expandirem os seus negócios e a sua rede profissional. O objectivo é contribuir para o crescimento económico de Angola, criando um ambiente para o empreendedorismo local prosperar. Trata-se de uma iniciativa do Reino dos Países Baixos e seus parceiros para cultivar o ecossistema empreendedor local.