Mais de 50 empresas entre nacionais e chinesas, a maioria das quais dedicada à exploração e processamento de madeira, expõem, há uma semana, na primeira edição da Feira de Mobiliário, a decorrer até 24 de Novembro deste ano, na cidade da China, localizada no Pólo Industrial de Viana, em Luanda, sob o lema “Grande promoção e oportunidades”.
Organizada pela Hua Dragão, empresa gestora da Cidade da China, o maior centro comercial do país, a Feira  expõe mobiliário doméstico, escolar, hospitalar e de escritório, estando os artigos em exposição à venda, a preços de promoção.
No local, que ocupa uma área bruta de oito mil metros quadrados, 85 por cento do mobiliário exposto e à venda são de produção nacional, um facto demonstrativo do potencial do sector.  Mais de 95 por cento das empresas presentes são chinesas, com fábricas de produção implantadas já no país, uma estratégia que visa a redução da importação de mobiliário de todo o tipo.
A empresa organizadora realiza, no dia 20 de Novembro, quatro dias antes do encerramento do evento, um sorteio, no qual vão concorrer as primeiras 50 pessoas que comprarem artigos expostos.
A Hua Dragão manifestou o desejo que esta Feira de Mobiliário seja encarada como uma oportunidade para quem quiser reformar ou decorar o seu imóvel e espera que a Feira receba, por dia, entre quatro e cinco mil visitantes.

Cooperação comercial
A Cidade da China foi idealizada para ser uma ponte na cooperação e nas trocas comerciais entre Angola e a China, uma informação avançada pelo presidente do conselho de administração da Hua Dragão, Jack Huang, quando discursava na cerimónia de abertura da Feira de Mobiliário.
Jack Huang disse que, para atingir o objectivo, a Hua Dragão vai construir um edifício multifuncional e de exposição, para promover e facilitar a aproximação entre os investidores de ambos os países e consumidores.