O Ministério do Comércio tem como meta para o ano 2020 a implementação do Programa Integrado de Desenvolvimento do Comércio (PIDCR), que substitui o Papagro, que numa primeira fase vai abranger quatro províncias, nomeadamente Cuanza Sul, Cuanza Norte, Benguela e Malanje e permitir que a produção nacional seja escoada do campo para as cidades. Outro grande objectivo daquele organismo ministerial é a execução da Reserva Estratégica Alimentar (REA) de modo a nivelar e acompanhar os preços no mercado dos produtos da cesta básica, segundo informou esta semana, em Luanda, o titular da pasta, Joffre Van-Dúnem, à margem da cerimónia de cumprimentos de fim-de-ano. Ressaltou que os produtos com maior volume de importação durante o ano de 2019 destacam-se o arroz, açúcar, óleo alimentar e de palma, sabão e feijão. “Embora a produção nacional já esteja a ocupar um certo espaço no consumo do país ela ainda não é suficiente”, referiu. Acrescentou também que o sector tem a oportunidade de preencher este vazio apostando em produtos locais. Sobre a Nova Pauta Aduaneira, Joffre Van-Dúnem disse que ela está pronta para proteger a produção nacional transformar o país num produtor e exportador.

“Lojas Poupa Lá”
O ministro revelou igualmente que o concurso público para a gestão da rede de lojas “Poupa Lá” acontece no I trimestre de 2020 e que poderão ser reabertas após serem registados como património do Estado. “Há necessidade de um concurso público para selecção de empresas gestoras credíveis e capacitadas, que assumam essas importantes infra-estruturas e possam, no mais curto espaço de tempo, recolocá-las ao serviço da população e dos operadores económicos”.
Por essa razão, realçou está em curso um trabalho de fundo com uma comissão constituída pelos responsáveis das infra-estruturas do Ministério do Comércio e pelo director nacional do Património do Estado e governos provinciais para legalização das lojas à favor do Estado, sublinhado que neste processo foram recuperadas cinco lojas com contratos mas que não funcionavam.
De acordo com os números revelados no último Conselho Consultivo do Ministério do Comércio as despesas de apoio ao desenvolvimento do sector está prevista, para 2020, uma verba orçamental de 6.170 milhões de kwanzas, acima do valor cabimentado no orçamento revisto de 2019, quando o crédito se situa em 4.039 milhões de kwanzas.