Os passageiros que frequentam a rota aérea Ondjiva/Luanda queixam-se da alta subida do preço do bilhete de passagem praticado desde a semana passada pela Taag, ao passar de 43 mil para 62.642 kwanzas da classe económica.
Já na classe executiva o preço do bilhete alterou de 62 mil para 115.918 kwanzas, o que está a ser considerado um exagero por parte dos passageiros, que têm a companhia nacional como o principal meio para se deslocar da província para a capital em menos tempo, uma vez que por estrada a viagem é feita ainda com algumas dificuldades devido a degradação de vários troços.
Para os clientes que compram o bilhete de ida e volta, o preço estipulado é de 116.241 kwanzas na classe económica e 187.415 mil kwanzas na executiva.
Abel Kaimbi, passageiro, disse encarar a subida do preço com muita preocupação, atendendo a realidade económica e financeira que as famílias vivem. “Os preços dos bilhetes não estão a altura do bolso do cidadão comum”, lamentou.
Por isso, considera que os actuais preços estão a reduzir o número de passageiros, e gostaria que os mesmos estivessem mais acessíveis, de modo a facilitar a vida dos cidadãos, para que haja maior fluxo de pessoas.
Mendes Mesquita, um outro passageiro, disse que, ultimamente tem sido mesmo difícil viajar de avião, porque com a actual tarifa não é fácil se deslocar do Cunene para Luanda. E gostava que o Executivo velasse pela situação.
Sublinhou que as estradas também precisam de uma especial atenção do Executivo, porque viajar por terra torna-se bastante desgastante devido o mau estado das vias. “Os preços estão demasiado altos e acredito que a nível das outras províncias as tarifas estão acessíveis e não sei porquê que para o Cunene continuam a subir, não conseguimos entender”, lamentou a cidadã Madalena Pereira. Disse que a sua família agora prefere viajar até ao Lubango por via terrestre. E se optar em apanhar o voo da Sonair fica-lhe mais económico, pois consegue poupar 30 mil kwanzas.
O chefe de escala da Taag em Ondjiva, Teles Tyifeta, justificou que a subida dos preços dos bilhetes varia, dependentemente do câmbio/dia do dólar.
Teles Tyifeta, afirmou que as políticas da Taag serão revistas pela agência internacional de aviação civil e acredita que num futuro breve os preços poderão conhecer uma descida na escala Ondjiva/Luanda, numa altura em que a mesma só está a operar com quatro voos semanais ultimamente.