O maior número de reclamações registadas pelo Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (Inadec), de Outubro de 2017 a presente data, recaíram sobre o sector imobiliário, com uma cifra superior a 300 queixas, informou o director-geral adjunto da instituição, Gilberto Dilo.
O gestor disse que o sector dos transportes, com 200 reclamações ligadas à venda e assistência técnica, e a educação (colégios), com 80, constituem, a par da área do imobiliário, os que mais beliscam os interesses dos consumidores.
Gilberto Dilo, que falava na reunião metodológica de Defesa do Consumidor, afirmou que o sector imobiliário lidera a lista de reclamações, seguido pelos sectores dos transportes públicos, venda e assistência técnica de viaturas, banca, entre outros serviços.
Em relação aos serviços de telecomunicações, explicou que o Inadec recebe diariamente duas a três reclamações contra os operadores de televisão e telefonia móvel.
Para a resolução das infracções no sector imobiliário, o Inadec já mediou cerca de 362 irregularidades na atribuição de imóveis e destes, consta o processo da Jefran, cuja decisão cautelar foi a suspensão da actividade desta empresa num período de 12 meses e entrega das residências, assim como a restituição dos valores em dobro.
Ainda em relação às sanções aplicadas à Jefran, afirmou que foi aplicada uma multa de 16 milhões de kwanzas.