A Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (SONANGOL) vai prosseguir os seus investimentos planificados na indústria petroquímica, ampliar as capacidades de armazenamento e de vendas de derivados do petróleo no país, garantiu nesta quarta-feira, em Luanda, o presidente do Conselho de Administração da empresa, Manuel Vicente.

Manuel Vicente, que falava em conferência de imprensa por ocasião do 33º aniversário da Sonangol, disse que a empresa registou um crescimento no capital próprio e obteve um lucro (bruto) na ordem de 2,9 biliões de dólares norte-americanos, no exercício de 2008, representando um aumento de cerca de 30 porcento em relação ao ano de 2007.

Em relação aos negócios no estrangeiro, visando capitalizar a empresa, o PCA afirmou que a Sonangol vai expandir, para além da Banca, os seus investimentos no sector imobiliário, em Portugal.

Apesar da crise mundial, enfatizou Manuel Vicente, a Sonangol ainda apresenta capacidade financeira para fazer face aos investimentos planificados, com destaque para a construção da Refinaria de petróleo no Lobito, na província de Benguela, e a de Gás liquefeito no Soyo, na província do Zaire.

Criada em 25 de Fevereiro de 1976, a Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (SONANGOL), Empresa Pública, é a responsável pela implementação da política da exploração e produção dos hidrocarbonetos e é tutelada pelo Ministério dos Petróleos.