Programa de Estabilização Macroeconómica e suportadas no Orçamento Geral do Estado para 2018, com foco no plano da consolidação fiscal, flexibilização da taxa de câmbio, melhoria do ambiente de negócios e da estratégia de diversificação económica. Nestes termos, é sua convicção que a acumulação da dívida pública possa diminuir significativamente até 2021. Entretanto, a S&P procedeu, também, a uma reavaliação da classificação de Angola, mantendo-o em B- /B, com uma perspectiva de estabilidade. Segundo os fundamentos para esta classificação, a S&P concentrou-se no aumento acentuado do stock da dívida pública de Angola em 2017, com a tendência de continuar em 2018, como resultado de défices fiscais consideráveis e desvalorização da moeda. Na explicação sobre a perspectiva estável, a Standard & Poors tem expectativas de que o crescimento económico vai acelerar, o que se contrapõe aos riscos de que a posição da dívida líquida do governo se possa deteriorar além das expectativas nos próximos 12 meses. Há a convicção de que a situação poderá melhorar, se as reformas económicas levarem a melhorias significativas em termos de governação e taxas de crescimento económico muito superiores do que as registadas actualmente.