Vários estabelecimentos comerciais, desde pequenas e médias lojas, incluindo os mini e supermercados existentes na cidade do Cuito, província do Bié, estão a criar mecanimsmos para atrair os clientes com adornos e enfeites à entrada das lojas para o período da quadra festiva, que se comemora no próximo mês de Dezembro.
O JE fez uma ronda à inúmeras superfícies comerciais existentes na cidade e verificou o apetrechamento de algumas lojas com a entrada de vários produtos alimentares e eletro-domésticos para atender à demanda nesta fase do ano.
Na cidade, já é visível a diferença no movimento de pessoas com a aproximação do ambiente natalício.
Actualmente, a população está mais serena e com a cultura de poupança mais enraizada na vida dos cidadãos no que diz respeito aos gastos para as compras do natal, facto que deixa preocupado os comerciantes.
Em relação aos preços dos produtos, há uma variação relativa, alguns mais altos que os outros, enquanto outros permanecem inalteráveis, o que facilita na hora das compras. Por exemplo, o arroz, trigo, ovo, manteiga, açúcar, a massa alimentar e o leite, são os bens alimentares mais procurados e consumidos pela população local.
Quanto aos frescos, o número de contentores que facilitam a comercialização de produtos congelados como peixe e carne, aumentou de forma considerável no município do Cuito, em particular.
O preço do peixe congelado varia de acordo com a variedade existente e o peso, onde uma caixa de 20 quilos de carapau custa entre 13 a 15 mil kuanzas.
A caixa de chopa está a ser comercializada a nove mil kuanzas. A de coxa de frango está no valor de 4500 kwanzas.

Constatação

Para Maria Albertina, de 40 anos , mãe de quatro filhos, revendedora de frescos há mais de dois anos, afirma o comércio de peixe tem rendimento considerável porque faz parte da dieta alimentar de todos os cidadãos.
A nossa reportagem constatou também a redução de lojas na cidade, facto que está ligado à situação financeira do país, levando muitos proprietários a encerrar os seus estabelecimentos, conforme avança a directora do comércio, hotelaria e turismo, da província, Ludmila Ferreira.
De acordo com dados avançados, o supermercado Shoprite e Nosso Super são os únicos de maior dimensão na cidade e servem para atender toda região, cujo número de consumidores ascende os mais de um milhão de clientes na província.